Gestão e Qualidade | 21 de dezembro de 2019

Os 80 anos do Hospital Santa Lúcia de Cruz Alta e seus novos desafios

Diretor da instituição Fernando Pedroso aponta conquistas da instituição e apresenta planos para 2020  
Os 80 anos do Hospital Santa Lúcia de Cruz Alta e seus novos desafios

O ano de 2019 foi especial para o Hospital Regional Santa Lúcia, de Cruz Alta. Afinal, a instituição que é referência no noroeste gaúcho comemorou 80 anos de fundação. A estruturação do serviço de cardiologia, o lançamento da plataforma digital do Cartão Cliente Saúde e a disponibilização da área de gestão de projetos do Santa Lúcia para auxílio a startups que precisam conhecer o setor da saúde foram algumas das novidades apresentadas pela instituição em 2019.

Para 2020, há um objetivo já para o primeiro semestre: obter a certificação hospitalar da ONA – Organização Nacional de Acreditação, como conta o diretor executivo do hospital, Fernando Scarpellini Pedroso, segundo entrevistado da série especial de final de ano do Portal Setor Saúde, com a participação de executivos de hospitais e operadoras de saúde do Rio Grande do Sul.

Os 80 anos de fundação e os desafios 

A instituição celebrou os 80 anos em uma série de atividades para a comunidade de Cruz Alta, especialmente durante o mês de setembro. Inaugurado em 1939, a instituição conta com 350 funcionários e mais de 100 médicos no corpo clínico, atendendo mais de 25 especialidades. O Santa Lúcia dispõe de 100 leitos e interna mais de 500 pacientes por mês.

Para celebrar a data, a instituição realizou uma série de atividades em evento na Praça Erico Verissimo, de Cruz Alta, no dia 29 de setembro. O médico Pedro Westphalen, ex-diretor do Santa Lúcia, neto dos fundadores, Dr. Hildebrando Westphalen e Dona Otilinha, e atualmente deputado federal e vice-presidente da Confederação Nacional da Saúde (CNSaúde), realizou a abertura oficial do evento, que contou ainda com o diretor geral Dr. Roberto Etchegoyen, também neto dos fundadores.

80 anos HSL

Em sua trajetória se destacou por ter sido pioneiro no interior do estado a implementar o Sistema de Gestão na área da saúde, o LeanHealthcare, que acompanhado por um conjunto de ferramentas foca na Melhoria Contínua dos processos visando aumentar a qualidade do atendimento aos clientes, resolvendo os problemas de real importância da organização. Foi também o primeiro hospital no interior do estado a realizar transplante renal, além disso, hoje é um dos poucos no Rio Grande do Sul credenciado a realizar transplantes de córneas.

Os principais desafios de 2019

O ano de 2019 foi, antes de tudo, um ano de comemoração pelos nossos 80 anos de existência na prestação de serviços de saúde. E foi também um ano desafiador. Com os Governos Estadual e Federal em início de gestão, havia uma expectativa em relação às Reformas, e qual o direcionamento que seria dado às políticas de saúde por parte do Governo Federal e, no nosso caso gaúcho, em relação ao IPE-Saúde pelo novo Governo do Estado”, explica. Segundo a Federação dos Hospitais dos RS, da qual o Santa Lúcia é filiado, o IPE-Saúde vem atrasando constantemente os pagamentos.


De acordo com Pedroso, as expectativas e incertezas em relação aos novos Governos fizeram com que o Hospital Santa Lúcia aguardasse muitos desfechos durante o ano, para então estruturar novas ações, principalmente no que se refere aos investimentos. “Neste sentido, creio que encerramos o ano com esse cenário mais definido, o que facilita a implementação de projetos para 2020”, afirma. “O desafio prioritário é buscar um crescimento sustentável, equilibrando a gestão de custos com a entrega de valor ao paciente”, complementa.


Vista aérea do Hospital Santa Lúcia de Cruz Alta

Vista aérea do Hospital Santa Lúcia de Cruz Alta

xxx

Investimentos

O diretor executivo destaca que há um projeto muito importante em andamento, na área da cardiologia. O Hospital passou a contar recentemente com um novo serviço de cardiologia, estruturado para receber casos de baixa a alta complexidade. Além disso, a equipe de cardiologia trabalha de forma integrada com as equipes de outras especialidades, dando ainda mais suporte aos pacientes cardiopatas.


Pedroso destaca o alto grau de especialização da sua equipe de cardiologia. E revela outro grande desafio da instituição. “Temos o desafio de conseguirmos Certificação da ONA, já no primeiro semestre de 2020”, revela.


Digitalização do Cartão Cliente Saúde e auxílio a startups

Atentos às evoluções da tecnologia, o Santa Lúcia investiu para fornecer praticidade para seus clientes, implementando a plataforma digital do Cartão Cliente Saúde. O Cartão Cliente Saúde oferece acesso a consultas médicas de diversas especialidades, além de todos os serviços oferecidos pelo Santa Lúcia, como Pronto Atendimento 24h, pacotes cirúrgicos, central de curativos, oxigenação hiperbárica, centro de imagens, serviços de cardiologia, neurologia e neurocirurgia, Atendimento Domiciliar e exames.


“Neste ano, implementamos uma plataforma digital de benefícios para os 8 mil clientes de nosso cartão de descontos e vantagens, o Cartão Cliente Saúde. Ele proporciona uma série de descontos, inclusive em farmácias”, ressalta. 


80 anos HSL1

Gestão de Projetos para startups

Pedroso revela que a instituição também passou a disponibilizar a área de gestão de projetos do Hospital para auxílio a startups que precisam conhecer o negócio saúde para validarem os seus modelos.Além dos avanços relacionados à tecnologia ocorridos dentro da instituição, o diretor executivo avalia as novidades em todo o setor da saúde.


“Dentre os avanços, o que mais chama a atenção está relacionado à indústria de medicamentos e na área de diagnósticos, onde as pesquisas com células tronco e DNA tem proporcionado avanços que vão impactar diretamente no perfil assistencial das instituições no médio prazo”, afirma.


Novos modelos de remuneração e criação de redes

No ano de 2019, algumas tendências ganharam força no mercado da saúde, como fusões, aquisições e verticalizações, que tomaram conta do mercado do setor. Entretanto, o diretor executivo analisa com ressalva esse momento.


“Essa discussão está, a meu ver, quase que exaurida, mas com pouca execução. Vejo dois problemas que persistem: a desconfiança na negociação entre prestadores e operadoras e a pressão por parte das operadoras sobre as margens dos prestadores ao longo do tempo, onde não resta margem financeira para se testar as hipóteses e novos modelos de remuneração sem a garantia de que ninguém saia perdendo”, explica. Na visão de Pedroso, “talvez com uma regulação clara pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) para uma fase de transição entre os modelos facilitasse a implementação de modelos alternativos de remuneração”.


Mensagem para o final de 2019 início de 2020

“Estamos preparados para crescer em 2020, com base em metas estabelecidas e projetos sustentáveis. O país irá crescer e estamos preparados para crescer juntos. Espero que tenhamos todos muita saúde e sabedoria para entregar um excelente serviço para os pacientes, que são a nossa razão de ser. Um próspero 2020 a todos! ”, finaliza Pedroso.

Fernando Pedroso

Bacharel em Direito pela Unicruz – Universidade de Cruz Alta; Especialista em Gestão Financeira, Auditoria e Controladoria, Administração de Empresas, pela FGV – Fundação Getúlio Vargas; Especialista em Gestão Empresarial, Administração de Empresas, pela ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing; Especialista em Gestão Hospitalar, pela Fasaúde/IAHCS – Instituto de Administração Hospitalar e Ciências da Saúde; Extensão em Administração e Marketing, pela The University of California (EUA). É diretor da FEHOSUL e presidente do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde da Região Serrana (Sistema FEHOSUL). Fellow do Colégio Brasileiro de Executivos da Saúde (CBEXs).


Confira as datas das entrevistas e acompanhe:

DEZEMBRO

20 – Mohamed Parrini (Hospital Moinhos de Vento – Porto Alegre)

21 – Fernando Pedroso (Hospital Regional Santa Lúcia – Cruz Alta)

22 – Leandro Firme (Hospital São Lucas da PUCRS – Porto Alegre)

23 – Claudiomiro Carus (Hospital de Caridade – Erechim)

26 – Júlio Matos (Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre)

27 – Hilton Mancio (Hospital Tacchini – Bento Gonçalves)

28 – José Clóvis Soares (Hospital Divina Providência –  Porto Alegre)

29 – Ilário Jandir de David (Hospital São Vicente de Paulo – Passo Fundo)

30 – Jorge Bajerski (Hospital de Clínicas de Porto Alegre)

JANEIRO

2 – Ângela Perin (Hospital Dr Astrogildo de Azevedo – Santa Maria)

3 – André Cecchini (Grupo Hospitalar Conceição – Porto Alegre)

4 – Cleciane Simsem (Hospital Virvi Ramos – Caxias do Sul)

5 – Fernando Barreto (AESC/Hospital Mãe de Deus – Porto Alegre)

6 – Odacir Rossato (Hospital Ernesto Dornelles – Porto Alegre)

7 – Mauro Borges (Centro Clínico Gaúcho)

8 – Flávio Vieira (Unimed Porto Alegre)

VEJA TAMBÉM

Série Especial

As ações do Hospital Moinhos de Vento contra a Covid-19

O Portal Setor Saúde apresenta, a partir de hoje, 7, dia mundial da saúde, como importantes instituições estão se preparando para lidar com os casos: Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Hospital Moinhos de Vento, Hospital Mãe de Deus/AESC, Hospital Ernesto Dornelles, Hospital Divina Providência, Hospital São Lucas da PUC-RS, Hospital de Caridade Dr Astrogildo de Azevedo (Santa Maria), Hospital Tacchini (Bento Gonçalves), Hospital Virvi Ramos (Caxias do Sul), Hospital Santa Lucia (Cruz Alta), Hospital São

As ações do Grupo Hospitalar Conceição para o enfrentamento da COVID-19

O Portal Setor Saúde apresenta, a partir de hoje, 7, dia mundial da saúde, como importantes instituições estão se preparando para lidar com os casos: Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Hospital Moinhos de Vento, Hospital Mãe de Deus/AESC, Hospital Ernesto Dornelles, Hospital Divina Providência, Hospital São Lucas da PUC-RS, Hospital de Caridade Dr Astrogildo de Azevedo (Santa Maria), Hospital Tacchini (Bento Gonçalves), Hospital Virvi Ramos (Caxias do Sul), Hospital Santa
covid-19

Exclusivo: Como hospitais gaúchos lidam com o aumento de casos da Covid-19 no RS

O aumento rápido do número de casos de Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) se apresenta como um enorme desafio para os sistemas de saúde do mundo. No Brasil, de acordo com estimativas do Ministério de Saúde e de diversos estudos, serão meses com grande e crescente número de casos da doença. Com o crescimento e a necessidade de