Gestão e Qualidade | 20 de dezembro de 2019

O planejamento estratégico que consolida o Hospital Moinhos de Vento entre os melhores da América Latina

Superintendente Mohamed Parrini analisa o modelo de gestão e apresenta os próximos passos da instituição
O planejamento estratégico que consolida o Hospital Moinhos de Vento como 11º melhor hospital da América Latina

Apesar dos desafios impostos pelo mercado, o Hospital Moinhos de Vento tem motivos para se orgulhar em 2019. O Hospital foi eleito o 11º melhor hospital da América Latina (3º melhor do Brasil) em ranking da revista América Economia Intelligence. Além disso, a instituição investiu mais de R$ 250 milhões em iniciativas nos últimos quatro anos, e a previsão é de R$ 900 milhões de faturamento no ano de 2019.

As diretrizes do Moinhos, que atualmente possui três áreas de foco prioritário, a avaliação do mercado da saúde e perspectivas para o futuro foram analisadas pelo superintendente executivo, Mohamed Parrini, primeiro entrevistado da série especial de final de ano do Portal Setor Saúde, que conta com a participação de executivos de saúde de hospitais e operadoras de planos de saúde do Rio Grande do Sul.

Faturamento de R$ 900 milhões e crescimento orgânico

O superintendente executivo analisou que tanto o mercado da saúde quanto a economia brasileira encontram-se em um cenário desafiador. Além disso, Parrini acrescenta novas tendências que ganharam força no mercado da saúde em 2019, como fusões, aquisições e verticalização. “Mesmo diante desse contexto, o Hospital Moinhos de Vento teve um bom desempenho no ano. Nossa previsão é finalizar 2019 com um faturamento anual de R$ 900 milhões. Foi um crescimento orgânico, sem fusões e aquisições, focado em diversas melhorias nos modelos de governança e gestão, além de projetos estruturados e estratégicos aprovados pelo Conselho de Administração”, afirma.

Superintendente médico do Hospital Moinhos de Vento, Luiz Antonio Nasi; Superintendente administrativo do Hospital Moinhos de Vento, Evandro Luis Moraes; Superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini; e o Chefe do serviço de pediatria do Hospital Moinhos de Vento, João Krauzer

Superintendente médico do Hospital Moinhos de Vento, Luiz Antonio Nasi; Superintendente administrativo do Hospital Moinhos de Vento, Evandro Luis Moraes; Superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini; e o Chefe do serviço de pediatria do Hospital Moinhos de Vento, João Krauzer

XXx

11º melhor hospital da América Latina e investimentos realizados

“O fato é que, mesmo em um momento de crise no país, decidimos crescer. E isso se refletiu em reconhecimento: somos considerados, segundo o ranking da América Economía Intelligence, o 11º melhor hospital da América Latina. Entre as instituições brasileiras, estamos em 3ª lugar”, comemora Mohamed.


O superintendente executivo do Moinhos destaca que, nos últimos quatro anos, mais de R$ 250 milhões foram destinados a diversas iniciativas. “Nossos investimentos ocorreram focados em diversas áreas, como o novo prédio de internação, com mais cem leitos, incluindo a nova UTI especializada em reabilitação e um andar exclusivo para transplantes e pacientes onco-hematológicos. E seguimos nessa linha em 2019, com investimentos no Núcleo de Cirurgia Robótica, no segundo sistema TrueBeam e na nova Emergência Pediátrica e no Centro de Fertilidade, entre outros projetos”, revela.


Lançamento do Núcleo de Cirurgia Robótica ocorreu em março

Lançamento do Núcleo de Cirurgia Robótica ocorreu em março

xxx

Diretrizes do ciclo estratégico 2017-2021

Parrini explica que o Hospital Moinhos de Vento se encontra em meio a um ciclo estratégico de cinco anos, que mapeou diretrizes e valores para guiar o período entre 2017 e 2021. “Portanto, o próximo ano seguirá nessa linha, com o cuidado centrado no paciente e o valor baseado em desfechos clínicos. Alinhados a esse planejamento, seguimos acreditando que o setor saúde está em constante transformação no Brasil e no mundo”, destaca.


 A evolução das tecnologias e as novas tendências em modelos de cuidado são analisadas dentro do ciclo estratégico em andamento. “Vemos a revolução tecnológica da medicina como uma grande oportunidade, não apenas para a comunidade médica, mas para toda a economia. É um verdadeiro marco para a sociedade. E seguiremos atentos aos novos modelos no cuidado que surgirão nos próximos anos. Por isso mesmo, o próprio ciclo estratégico que estamos atravessando traz projetos que promovem o desenvolvimento de tecnologias em saúde e o cuidado da saúde de população”, ressalta.


Ciclo de investimentos em ensino, pesquisa e assistência

O planejamento estratégico estabelecido pelo Moinhos está no seu segundo ciclo, de acordo com Parrini. Três áreas receberão investimentos no próximo ano, porém conforme o superintendente, o Hospital seguirá observando e discutindo oportunidades emergentes, inclusive em outros campos, desde que estejam alinhadas ao propósito da organização. “No atual período, há um foco especial em três áreas: ensino, pesquisa e assistência. Para isso, contamos com projetos voltados à medicina e assistência de excelência, alta complexidade, gestão e processos, captação e retenção de talentos, sustentabilidade e inovação. Observamos oportunidades emergentes nesses e em outros campos, e seguiremos investindo naquilo que ajudar a instituição a atingir o seu propósito: cuidar de vidas”, afirma.

Aperfeiçoar o cuidado com o paciente utilizando inteligência artificial, novas tecnologias, análise de dados e melhorias de gestão

“Cada vez mais, nosso setor terá de responder à seguinte pergunta: como aperfeiçoar o cuidado com o paciente utilizando inteligência artificial, novas tecnologias, análise de dados e melhorias de gestão? A tecnologia não é apenas uma tendência mundial: é uma realidade que está posta. Muito daquilo que antes era ficção científica já se materializa e oferece resultados, e essas tendências citadas na pergunta são exemplos disso”, reflete o executivo.


Parrini ressalta que a atuação do Moinhos para lidar com as novas tendências foi feita com ações de constante diálogo com o mercado, em que foram levadas reflexões sobre o futuro do setor, antecipando tendências e buscando novos conhecimentos. “Tudo isso foi feito tendo o paciente como centro. Promovemos eventos que reuniram diversos atores do mercado, com executivos e gestores públicos e privados do Brasil e do mundo. Foram encontros como o 1º Summit da SaúdeHealth ExperienceO Futuro da Saúde [em parceria com a Harvard Business Review] e muitos outros, além dos nossos Grand Rounds”, exemplifica.

 “São ações que demonstram que o Moinhos de Vento está no caminho certo, seguindo em uma posição de protagonismo e referência em gestão com foco em tecnologia e inovação”, complementa.


EventosMoinhos2019

Cooperação diante das transformações na saúde

Sobre as transformações na saúde (como adoção de novos modelos de remuneração e a criação de redes), Parrini defende uma atuação cooperativa, debatendo e propondo mudanças. “Costumo dizer que nós, hospitais, não somos o centro de um Sistema Solar. Nós integramos um sistema, e esse sistema tem no centro o paciente. Nós somos apenas os satélites. Pois esse sistema está em constante transformação, e uma palavra-chave nesse sentido é cooperação”, afirma.


Nesse debate, o superintendente executivo enxerga que o Moinhos de Vento não deixa de ser uma rede de cooperação que integra profissionais das mais diversas áreas. “Unimos corpo clínico e assistencial na busca permanente da cura, do cuidado, do acolhimento humanizado. Oferecemos o que há de mais moderno em tecnologia e conhecimento, para também ser parte dessa cadeia a serviço da saúde”, explica.


Parrini ainda frisa que a instituição segue sempre atenta às mudanças e inclusão de novas tendências. “Muitos dos eventos que promovemos, ou participamos, indicaram novos modelos para a saúde – que, como em qualquer outro setor, não pode se dar ao luxo de permanecer sem mudanças. E o Moinhos de Vento é protagonista nessa busca constante.”

Centro de Fertilidade do Hospital Moinhos foi inaugurado em novembro

Centro de Fertilidade do Hospital Moinhos foi inaugurado em novembro

xxxx

 “Pessoas certas ao nosso lado”

“Vivemos um momento especial no hospital, e isso só é possível porque temos as pessoas certas ao nosso lado. Ao fim e ao cabo, o Moinhos de Vento é isso: um capital humano riquíssimo, que faz o seu melhor porque é parte de uma instituição que reflete princípios e ideais de humanidade, carinho, respeito e amor”, afirma.

Parrini destaca que a instituição tem como foco promover um ambiente favorável para todos os trabalhadores. “Somos o terceiro melhor hospital para se trabalhar no país, segundo o ranking Great Place to Work. Isso é motivo de orgulho e de grande responsabilidade. Cada vez mais, queremos oferecer um ambiente favorável para os colaboradores crescerem e, assim, todos evoluirmos juntos”, ressalta.


Para o próximo ano, as metas já estão bem traçadas. “Que 2020 consolide ainda mais nosso propósito e avance firme na direção do nosso centenário. Do corpo clínico às equipes de apoio e assistenciais, a dedicação, o cuidado, o carinho e a excelência seguirão sendo nossos compromissos para seguir redefinindo o impossível”, finaliza.


Mohamed Parrini

Economista formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com Mestrado em Filosofia pela PUCRS na Área de Metafísica e Epistemologia, e extensão executiva na área de Estratégia pela Harvard Business School (EUA). Foi diretor para a América Latina da Rede Hoteleira Starwood & Sheraton Hotels, com passagem pela consultoria Arthur Andersen. Há 11 anos, assumiu a Superintendência de Operações e Finanças do Hospital Moinhos de Vento. Desde março de 2016, ocupa o cargo de Superintendente Executivo (CEO) da instituição. Em 2019, presidiu o Conahp (evento da ANAHP); e recebeu o prêmio Destaques da Saúde como CEO do Ano, promovido pela FEHOSUL/AHRGS e SINDIHOSPA.

Parrini foi homenageado pela FEHOSUL/AHRGS e SINDIHOSPA com CEO do Ano

Parrini foi homenageado pela FEHOSUL/AHRGS e SINDIHOSPA como CEO do Ano

xxx


Confira as datas das entrevistas e acompanhe:

DEZEMBRO

20 – Mohamed Parrini (Hospital Moinhos de Vento – Porto Alegre)

21 – Fernando Pedroso (Hospital Regional Santa Lúcia – Cruz Alta)

22 – Leandro Firme (Hospital São Lucas da PUCRS – Porto Alegre)

23 – Claudiomiro Carus (Hospital de Caridade – Erechim)

26 – Júlio Matos (Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre)

27 – Hilton Mancio (Hospital Tacchini – Bento Gonçalves)

28 – José Clóvis Soares (Hospital Divina Providência –  Porto Alegre)

29 – Ilário Jandir de David (Hospital São Vicente de Paulo – Passo Fundo)

30 – Jorge Bajerski (Hospital de Clínicas de Porto Alegre)

JANEIRO

2 – Ângela Perin (Hospital Dr Astrogildo de Azevedo – Santa Maria)

3 – André Cecchini (Grupo Hospitalar Conceição – Porto Alegre)

4 – Cleciane Simsem (Hospital Virvi Ramos – Caxias do Sul)

5 – Fernando Barreto (AESC/Hospital Mãe de Deus – Porto Alegre)

6 – Odacir Rossato (Hospital Ernesto Dornelles – Porto Alegre)

7 – Mauro Borges (Centro Clínico Gaúcho)

8 – Flávio Vieira (Unimed Porto Alegre)

VEJA TAMBÉM

Série Especial

As ações do Hospital Moinhos de Vento contra a Covid-19

O Portal Setor Saúde apresenta, a partir de hoje, 7, dia mundial da saúde, como importantes instituições estão se preparando para lidar com os casos: Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Hospital Moinhos de Vento, Hospital Mãe de Deus/AESC, Hospital Ernesto Dornelles, Hospital Divina Providência, Hospital São Lucas da PUC-RS, Hospital de Caridade Dr Astrogildo de Azevedo (Santa Maria), Hospital Tacchini (Bento Gonçalves), Hospital Virvi Ramos (Caxias do Sul), Hospital Santa Lucia (Cruz Alta), Hospital São

As ações do Grupo Hospitalar Conceição para o enfrentamento da COVID-19

O Portal Setor Saúde apresenta, a partir de hoje, 7, dia mundial da saúde, como importantes instituições estão se preparando para lidar com os casos: Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Hospital Moinhos de Vento, Hospital Mãe de Deus/AESC, Hospital Ernesto Dornelles, Hospital Divina Providência, Hospital São Lucas da PUC-RS, Hospital de Caridade Dr Astrogildo de Azevedo (Santa Maria), Hospital Tacchini (Bento Gonçalves), Hospital Virvi Ramos (Caxias do Sul), Hospital Santa
covid-19

Exclusivo: Como hospitais gaúchos lidam com o aumento de casos da Covid-19 no RS

O aumento rápido do número de casos de Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) se apresenta como um enorme desafio para os sistemas de saúde do mundo. No Brasil, de acordo com estimativas do Ministério de Saúde e de diversos estudos, serão meses com grande e crescente número de casos da doença. Com o crescimento e a necessidade de