Gestão e Qualidade | 3 de junho de 2020

Santa Casa identifica aumento significativo de complicações em pacientes não Covid-19 em função de procura tardia

Ricardo Kroef concedeu entrevista ao Setor Saúde
Santa Casa identifica aumento significativo de complicações em pacientes não Covid-19 em função de procura tardia

A pandemia da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) fez com que diversas rotinas fossem alteradas em todo o mundo. Na área da saúde, uma das consequências mais visíveis e preocupantes foi a suspensão das cirurgias, exames de diagnóstico  e consultas eletivas,  com impactos impróprios para a sustentabilidade econômico-financeira dos hospitais e demais estabelecimentos prestadores de serviços de saúde, mas também para a própria saúde dos pacientes. A Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do RS (FEHOSUL), que representa esses estabelecimentos, alerta para a necessidade de se ter  um outro olhar: o da saúde da população não Covid-19. Ricardo Kroef, da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, destaca como a instituição vem lidando com este novo paradigma.

Por isso, em parceria com o Portal Setor Saúde, foi lançada uma série especial de entrevistas com gestores das instituições de saúde, destacando dados e informações sobre esta nova realidade. “É importante abordarmos a necessidade de não negligenciarmos os demais pacientes que não contraíram Covid. E demonstrar as boas práticas implementadas no setor hospitalar, na qual os pacientes podem confiar”, explica o presidente da FEHOSUL, médico Cláudio Allgayer.


Confira a entrevsta com o diretor-técnico do Complexo Hospitalar Santa Casa, dr. Ricardo Kroef. O médico é Chefe do Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Santa Casa, Supervisor da Residência Médica e Cirurgia de Cabeça e Pescoço da UFCSPA/Santa Casa e Fellow do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, de Nova Iorque (EUA).

Agravamento pela ida tardia ao hospital

O diretor-técnico aponta que, na Santa Casa, houve queda bastante significativa nos atendimentos, tanto em emergências quanto nas consultas e cirurgias eletivas. Kroef cita uma série de casos de pacientes que deixaram de procurar a instituição e tiveram o agravamento dos seus quadros clínicos em casa.

“Podemos citar pacientes diabéticos, que apresentaram uma descompensação da sua diabete, que nos procuraram em mal estado e tiveram que ir para a UTI”, afirma.

O diretor-técnico também aponta que foram observados alguns quadros infecciosos importantes, e cita como exemplo uma criança que chegou no Hospital Dom João Becker, de Gravataí, integrante do complexo hospitalar Santa Casa,  com uma complicação de uma otite e que foi à óbito por meningite. “A família, quando questionada do motivo de não terem levado ela ao hospital prontamente, disse que tinha medo de ir ao hospital”, relata. O risco de a otite se transformar em meningite gera alerta, sempre quando são sentidos dor e febre, sinais que podem estar associados a uma infecção grave.

Ainda ocorreu um caso com uma mulher, que chegou com uma infecção venosa (flebite) profunda na perna, que evoluiu para um quadro muito grave de septicemia e correu risco de morte.

Conforme Kroef, foi verificado que alguns pacientes que infartaram em casa –  e chegaram tardiamente na Santa Casa, por medo de irem ao hospital – vieram a óbito, devido à demora em procurar ajuda médica.

Consequências na qualidade de vida futura

Para Kroef, as consequências dos atendimentos tardios não serão apenas sentidas no momento atual, com quadros agravados e mortes evitáveis registradas. Para ele, muitos dos casos terão seu impacto observado daqui a alguns meses.

“São impactos muito importantes, e o mais importante disso é que lá por novembro ou dezembro, nós vamos ver casos avançados de câncer que vão nos procurar, com sintomatologia que merecia ser investigada para câncer e que não foi investigada, e que vão nos procurar com a doença já em evolução. Isso nós vamos ver lá para frente. Este impacto é e será bastante importante”, avalia.

Santa_Casa_Vista_Aerea

Forte impacto nos atendimentos

De acordo com o diretor-técnico, houve queda de 60% na Emergência de atendimentos por convênios [saúde suplementar] – “já nos atendimentos pelo SUS, houve uma queda menor”.

“Nas consultas eletivas, em fevereiro, quase não se notou, até março em torno do dia 19 estavam indo muito bem. A partir do bloqueio imposto pela autoridade sanitária, aí sim, as consultas caíram em torno de 90% e as cirurgias eletivas foram suspensas”, ressalta Kroef.

Kroeff salienta que, na Santa Casa, continuaram disponíveis somente as cirurgias graves, como os casos de câncer, procedimentos de cardiologia, de neurocirurgia – já algumas especialidades tiveram 100% de bloqueio nos atendimentos, pois eram essencialmente eletivas, como cirurgias plásticas, bariátrica, etc.

Série especial Santa Casa redefine assistência e lança campanha para 80 novos leitos de UTI

Retomada de cirurgias eletivas e das consultas

De acordo com Kroef, após a liberação das cirurgias eletivas [ocorrida no dia 23 de abril], pelo Governo do RS, a Santa Casa já registra uma recuperação no número de procedimentos, na média de 180 a 200 cirurgias por dia.



“Tínhamos caído para uma média de 30% no auge do bloqueio. Então, a recuperação está na faixa de 300 a 400%, mais ou menos. Nas consultas, tivemos um aumento bastante importante também. Hoje já estamos com um média de três mil consultas por dia, que é bastante interessante pois a meta da Santa Casa é em torno de quatro mil consultas por dia”, detalha o diretor-técnico da Santa Casa.

Novos protocolos garantem maior segurança aos pacientes

Kroef explica que as agendas foram intercaladas na instituição, com a organização de um intervalo maior entre as consultas, para evitar aglomerações entre os pacientes. E o uso de máscara passou a ser obrigatório para todas as pessoas que frequentam as dependências da Santa Casa.

“Além disso, é feita uma triagem na porta de todos os hospitais em que os pacientes são inquiridos quanto à existência de sintomas respiratórios, e também é medida a temperatura para a verificação de febre. Além de outras medidas físicas, com o bloqueio de assentos entre um e outro paciente, garantindo uma distância segura entre eles”, explica Kroef.

O diretor-técnico diz que o exame chamado PCR tem sido disponibilizado aos pacientes das cirurgias eletivas. O teste é considerado padrão ouro no diagnóstico da Covid-19, com níveis de acerto superiores aos testes rápidos (IgM/IgG).

Comunicação fortalecida nas redes sociais

De acordo com Kroef, a Santa Casa, principalmente através das suas redes sociais, “fornece toda a educação de como se portar em relação a sintomas de Covid-19 ou algum familiar que tenha sentido sintoma, qual é o tempo que [deve] ficar em casa, para onde se dirigir, etc, para evitar contágio e possibilitar maior diagnóstico dessas pessoas”.

Contato telefônico para os pacientes

A instituição também realiza telefonemas para pacientes que tinham sua consulta desmarcada e que potencialmente estão no grupo de risco. “Hoje, ligamos para este paciente oferecendo consulta, dentro dos nossos critérios de segurança”, diz.

Santa Casa inaugura novo espaço voltado ao público privado e de convênios

Poucos casos diagnosticados de coronavírus

“A Santa Casa é um hospital que teve o cuidado de reservar algumas áreas exclusivas para Covid-19. Entretanto, tivemos, até o momento, poucos casos diagnosticados.” explica. No dia 25 de maio (data da entrevista), haviam apenas seis pacientes internados.

“Para o que estávamos esperando e preparados, é muito baixo. A Santa Casa é um hospital seguro, onde são tomadas todas as precauções para que o paciente possa vir com segurança evitando o agravamento do seu quadro clínico e evitando a falta de diagnósticos em doenças agudas e, principalmente, também o agravamento de casos já diagnosticados”, enfatiza Kroef.

Todo Cuidado

A Santa Casa possui um programa de saúde denominado Todo Cuidado, na qual não é necessário o paciente sair de casa para alguns procedimentos. O atendimento é realizado por uma equipe qualificada e que oferece toda a segurança nos seus cuidados de saúde. O Todo Cuidado também leva até você o Programa de Assistência Domiciliar, com assistência hospitalar de alta complexidade customizada conforme a necessidade de cada paciente. O serviço está disponível para particulares e convênios (conforme a cobertura do plano de saúde e valores especiais para pacotes). Para mais informações, entre em contato pelo telefone (51) 3213-7900, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

TodoCuidado_SantaCasa


Série especial: leia as entrevistas já publicadas

Hospital Mãe de Deus estabelece novas rotinas para garantir atendimento seguro a todos os seus pacientes (27/05): Rafael Cremonese

Hospital de Caridade de Erechim vive nova realidade em meio à pandemia do coronavírus (28/05): Claudiomiro Carus

O perigo em não procurar o atendimento adequado no momento certo (Hospital Moinhos de Vento, 29/05): Luiz Antonio Nasi

Hospital Divina Providência e as ações para garantir a saúde dos pacientes não Covid-19 durante a pandemia (30/05): Willian Dalprá

Como o Hospital Tacchini vem atuando para garantir atendimento seguro a pacientes Covid e não Covid (31/05): Roberta Pozza

Conheça 6 protocolos do Hospital São Lucas da PUC-RS para garantir atendimento seguro aos seus pacientes (01/06): Leandro Firme

Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo alerta para que pacientes não interrompam seus tratamentos (02/06): Cristine Pilati Pileggi Castro e Júlio César de Bem.

Santa Casa identifica aumento significativo de complicações em pacientes não Covid-19 em função de procura tardia (03/06): Ricardo Kroef

Pacientes não Covid-19: Hospital Santa Lúcia ressalta riscos da procura tardia por atendimento (04/06): Fernando Pedroso

Diretora do Hospital Virvi Ramos de Caxias do Sul detalha impactos da pandemia (05/06): Cleciane Simsen

Hospital Conceição aponta queda de atendimentos de AVC e infarto durante a pandemia: (06/06): Rafael Ribeiro

Como o Hospital Clínicas vem atuando para atender pacientes Covid e não Covid com segurança (07/06): Brasil Silva Neto e Jeruza Neyeloff

VEJA TAMBÉM

Laboratório Mont’Serrat é o primeiro da região Sul a oferecer teste que mede nível de imunidade contra o SARS-CoV-2

A confirmação de reinfecções pelo SARS-CoV-2 e uma mutação deste vírus já identificada no país vêm deixando a população alerta neste início de ano. Diante do grande número de pessoas que já contraíram o coronavírus (Covid-19), a possibilidade de confirmar o nível de imunidade contra a doença pode trazer um pouco mais de tranquilidade. Esse
qualidade e segurança do paciente

Hospitalar ATS conquista acreditação de nível máximo pela ONA 

A Hospitalar ATS, de Porto Alegre (RS), conquistou a acreditação de nível 3 (Excelência) da Organização Nacional de Acreditação (ONA). Fundada em 1997, a empresa atua oferecendo soluções para as necessidades dos pacientes fora do ambiente hospitalar, como serviços de home care. Entre os produtos oferecidos estão a Assistência Domiciliar Supervisionada, Internação Domiciliar, Procedimento Pontual
sequelas Covid

Hospital Mãe de Deus inaugura Serviço de Recuperação Pós-Covid

Após dez meses de pandemia, com mais de quatro mil pacientes atendidos e diagnosticados com Covid-19, tanto da capital quanto do interior do Estado, o Hospital Mãe de Deus está recebendo uma procura muito grande de pessoas que precisam de orientações para a continuação do tratamento após a doença. Para atender esta demanda, desde o dia 11 de janeiro começou a funcionar o Serviço de Recuperação Pós-Covid.