Gestão e Qualidade | 6 de junho de 2020

Hospital Conceição aponta queda de atendimentos de AVC e infarto durante a pandemia

Série especial destaca os perigos em não buscar atendimento na hora certa
Hospital Conceição adota novas rotinas para garantir a segurança de seus pacientes 

A pandemia da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) fez com que diversas rotinas fossem alteradas em todo o mundo. Na área da saúde, uma das consequências foi a suspensão das cirurgias eletivas e de consultas, com impactos para o caixa dos hospitais, mas também, para a saúde dos pacientes. O medo dos pacientes em irem ao hospital em casos graves e urgentes é outra preocupação geral no setor  da saúde, já que vem impactando a qualidade de vida dos pacientes (sequelas e complicações) e aumentando o número de mortes evitáveis. Segundo a Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do RS (FEHOSUL), há um outro lado que precisa ser olhado: a saúde da população (pacientes) não Covid-19.


O Portal Setor Saúde, em parceria com a FEHOSUL, destaca na 11º entrevista da sua série especial com gestores das instituições de saúde, as consequências deste novo cenário, que preocupa hospitais, médicos e pacientes. “Apresentamos as medidas adotadas para garantir a segurança no ambiente de cada hospital, e estamos divulgando as ações que os mesmos vêm trabalhando para se aproximar ainda mais de seus pacientes, através de ações de engajamento e comunicação com a comunidade. E alertamos para que os pacientes, oncológicos e de cuidados contínuos, não interrompam o seu tratamento”, detalha Cláudio Allgayer, presidente da FEHOSUL.


Confira o relato, de Rafael Ribeiro (foto), gerente de Internação do Hospital Nossa Senhora da Conceição, do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), de Porto Alegre.

Diminuição em atendimentos

Em vários hospitais do mundo, foi registrado uma queda importante nos atendimentos de emergência, causada pelo medo das pessoas se dirigirem aos hospitais. Esta situação pode ocasionar uma diminuição nas chances de recuperação dos pacientes.

No Hospital Conceição a taxa de ocupação na Unidade de Acidentes Vasculares (U-AVC) era de 95% em janeiro e caiu para 71% em abril. Já na de infarto agudo do miocárdio (Unidade de Cuidados Especiais Coronarianos/UCE), a ocupação, que era de 75% em janeiro, passou para 46% em abril.

“Esse fenômeno pode ser evidenciado em nossa instituição na ocupação da unidade que atende os pacientes com acidente vascular cerebral (U-AVC) e da que atende os pacientes com infarto agudo do miocárdio (UCE). Observamos uma redução importante da ocupação nos primeiros meses deste ano associado à ascensão da pandemia do coronavírus”, diz Rafael Ribeiro.

As pessoas precisam estar atentas aos sintomas do AVC, como fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo; confusão mental; alteração da fala ou compreensão; alteração na visão (em um ou ambos os olhos); alteração do equilíbrio, coordenação, tontura ou alteração no andar; dor de cabeça súbita, intensa, sem causa aparente. Se o paciente for atendido rapidamente após o início dos sintomas, há menor risco de sequelas e melhora na qualidade de vida. No caso de infarto, que apresenta sintomas como sensação de aperto ou dor no peito; no pescoço; nas costas ou nos braços; fadiga; tontura; batimento cardíaco anormal e ansiedade, a rapidez para receber cuidados também é extremamente importante para evitar sequelas ou diminuir os riscos de morte.

Em relação aos ingressos na emergência (clínica + cirúrgica), consultas ambulatoriais e cirurgias eletivas, Rafael disse que houve “uma redução no período de fevereiro-abril de 2020, comparado ao mesmo período do ano anterior, de 29,1% nos ingressos da emergência clínica/cirúrgica, 32,7% das consultas ambulatoriais e de 17,9% das cirurgias eletivas. ”

A interrupção de tratamentos impacta negativamente os pacientes em médio e longo prazo. Segundo a Confederação Nacional de Saúde (CNSáude) – da qual a FEHOSUL é filiada -, áreas como Cardiologia, Oncologia, Nefrologia (hemodiálises), Obstetrícia (Pré-Natal), entre outras, estão no foco da preocupação, assim como os cuidados Pós-Operatórios. Os tratamentos contínuos, de forma geral, nunca devem ser paralisados sem orientação médica.

Após a liberação das cirurgias eletivas, pelo Governo do RS, ocorrida na última semana de abril,  o hospital vem retomando aos poucos à volta aos atendimentos. Segundo o gerente de Internação do Hospital Nossa Senhora da Conceição, foi criado junto com à Secretaria de Saúde de Porto Alegre, um plano para retomada, que consiste em quatro etapas.

“ Conforme a pactuação realizada recentemente junto à Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, o GHC elaborou um plano de retorno às atividades de assistência habituais em etapas programadas (total de 4 etapas) conforme o cenário externo: atualmente nos encontramos na “Etapa 1”, na qual estão priorizadas as consultas de oncologia-hematologia, de obstetrícia, de oxigenoterapia domiciliar, e das linhas de cuidado de pacientes com infarto agudo do miocárdio (IAM) e acidente vascular cerebral (AVC). A partir do dia 20 de maio, quarta-feira, entramos na “Etapa 2”, com o retorno das consultas das especialidades Neurologia, Saúde Mental, Urologia, Oftalmologia, Reumatologia e Infectologia. O avanço às demais etapas será reavaliado conforme o cenário de pandemia. ”


Ações que garantem a segurança para o paciente

Para garantir a segurança dos pacientes Rafael destaca ações como “isolamento dos casos suspeitos, reforço na orientação do uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), uso de precauções padrão, treinamentos obrigatórios presenciais contínuos pelo Controle de Infecção Hospitalar junto às equipes, fluxos internos de movimentação de pacientes bem definidos, restrição de acesso ao hospital, triagem na entrada hospital [queixas respiratórias e medição da temperatura].”

GHC lança edital para o Curso Técnico em Enfermagem

Informação e ações de atenção primária

Para desmistificar o medo das pessoas irem ao hospital para realizarem seus tratamentos, principalmente os doentes crônicos, o hospital vem atuando para orientar os pacientes e a comunidade através de um programa de rádio, que busca garantir acesso à informação para usuários. Além disso, a iniciativa busca manter o vínculo deles com os profissionais da saúde, a Unidade de Saúde Básica Costa e Silva.


“A atração funciona na própria unidade e começou a ser gravada no início de março em uma frequência semanal. A iniciativa surgiu do Projeto de Estágio de Gerenciamento é uma tentativa de organizar as informações sobre a Covid-19. O programa de rádio começou por causa do coronavírus e tem como intenção aproximar mais as pessoas, ser um contato e um ponto de apoio dentro da pandemia. ”


Segundo a Rafael, a iniciativa é comandada pelos Residentes de Medicina de Família e Comunidade, Mayara Floss e Carlos Augusto Vieira, e pela Residente de Psicologia da Saúde da Família, Flora Barbosa.


Série especial: leia as entrevistas já publicadas

Hospital Mãe de Deus estabelece novas rotinas para garantir atendimento seguro a todos os seus pacientes (27/05): Rafael Cremonese

Hospital de Caridade de Erechim vive nova realidade em meio à pandemia do coronavírus (28/05): Claudiomiro Carus

O perigo em não procurar o atendimento adequado no momento certo (Hospital Moinhos de Vento, 29/05): Luiz Antonio Nasi

Hospital Divina Providência e as ações para garantir a saúde dos pacientes não Covid-19 durante a pandemia (30/05): Willian Dalprá

Como o Hospital Tacchini vem atuando para garantir atendimento seguro a pacientes Covid e não Covid (31/05): Roberta Pozza

Conheça 6 protocolos do Hospital São Lucas da PUC-RS para garantir atendimento seguro aos seus pacientes (01/06): Leandro Firme

Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo alerta para que pacientes não interrompam seus tratamentos (02/06): Cristine Pilati Pileggi Castro e Júlio César de Bem.

Santa Casa identifica aumento significativo de complicações em pacientes não Covid-19 em função de procura tardia (03/06): Ricardo Kroef

Pacientes não Covid-19: Hospital Santa Lúcia ressalta riscos da procura tardia por atendimento (04/06): Fernando Pedroso

Diretora do Hospital Virvi Ramos de Caxias do Sul detalha impactos da pandemia (05/06): Cleciane Simsen

Hospital Conceição aponta queda de atendimentos de AVC e infarto durante a pandemia: (06/06): Rafael Ribeiro

Como o Hospital Clínicas vem atuando para atender pacientes Covid e não Covid com segurança (07/06): Brasil Silva Neto e Jeruza Neyeloff

 

 

VEJA TAMBÉM

Laboratório Mont’Serrat é o primeiro da região Sul a oferecer teste que mede nível de imunidade contra o SARS-CoV-2

A confirmação de reinfecções pelo SARS-CoV-2 e uma mutação deste vírus já identificada no país vêm deixando a população alerta neste início de ano. Diante do grande número de pessoas que já contraíram o coronavírus (Covid-19), a possibilidade de confirmar o nível de imunidade contra a doença pode trazer um pouco mais de tranquilidade. Esse
qualidade e segurança do paciente

Hospitalar ATS conquista acreditação de nível máximo pela ONA 

A Hospitalar ATS, de Porto Alegre (RS), conquistou a acreditação de nível 3 (Excelência) da Organização Nacional de Acreditação (ONA). Fundada em 1997, a empresa atua oferecendo soluções para as necessidades dos pacientes fora do ambiente hospitalar, como serviços de home care. Entre os produtos oferecidos estão a Assistência Domiciliar Supervisionada, Internação Domiciliar, Procedimento Pontual
sequelas Covid

Hospital Mãe de Deus inaugura Serviço de Recuperação Pós-Covid

Após dez meses de pandemia, com mais de quatro mil pacientes atendidos e diagnosticados com Covid-19, tanto da capital quanto do interior do Estado, o Hospital Mãe de Deus está recebendo uma procura muito grande de pessoas que precisam de orientações para a continuação do tratamento após a doença. Para atender esta demanda, desde o dia 11 de janeiro começou a funcionar o Serviço de Recuperação Pós-Covid.