Estatísticas e Análises, Mundo | 12 de fevereiro de 2021

Uso de duas máscaras bem ajustadas reduz risco de transmissão de cepas mais contagiosas da Covid-19

De acordo com um estudo, a exposição a partículas virais é reduzida em mais de 95%
Uso de duas máscaras bem ajustadas reduz risco de transmissão de cepas mais contagiosas da Covid-19_

Usar uma máscara cirúrgicabem ajustada ao rosto ou usar duas máscaras pode reduzir em até 95% a transmissão da Covid-19, o que pode ajudar a retardar a disseminação de novas cepas mais contagiosas, de acordo com um relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de saúde dos Estados Unidos, divulgado na quarta-feira (10).

Os pesquisadores realizaram dois experimentos: um nó foi feito nas alças da máscara cirúrgica; depois, a máscara de pano foi sobreposta, com o cuidado de estar mais fixa o possível do rosto. De acordo com as descobertas, a exposição a partículas virais é reduzida em mais de 95% nessa ocasião.

“Os dados deste relatório ressaltam a descoberta de que um bom ajuste pode aumentar a eficiência geral da máscara”, escreveram os autores. “Várias maneiras simples de melhorar o ajuste demonstraram ser eficazes”, pontuam.

Os resultados da pesquisa demonstraram que a máscara cirúrgica, sem estar ajustada, bloqueou 42% das partículas de uma simulação de tosse. A máscara de pano bloqueou 44,3%. Usar máscara de pano sobre máscara cirúrgica aumenta a proteção de uma pessoa que usa a máscara (e outra não), bloqueando 83% das pequenas partículas. Porém, quando ambos usavam duas máscaras bem ajustadas ou máscaras cirúrgicas com nós para melhor ajuste, a exposição foi reduzida em mais de 95%.

mascara_dupla

Limitações apontadas

Uma limitação apontada pelos cientistas é que foi utilizado um tipo específico de máscara cirúrgica e, também, um modelo escolhido para a de pano. Por isso, a eficiência pode não ser igual em outras marcas ou tipos encontrados. Outro ponto é que eles não chegaram a fazer testes em outras variações, como pano sobre pano ou cirúrgica sobre pano. Os resultados podem não ser os mesmos para esses casos.

Enquanto outros estudos recentes analisaram “adaptadores de máscara” – uma faixa que passa sobre uma máscara para mantê-la confortável no rosto – e descobriram que eles melhoraram o desempenho, o CDC aponta que uma boa opção é usar uma máscara cirúrgica bem ajustada com uma máscara de pano por cima.

Em relação às novas variantes do coronavírus, a diretora do CDC, Rochelle Walensky, disse a repórteres em uma reunião na Casa Branca na quarta-feira que a agência atualmente estima que de 1% a 4% dos casos de Covid-19 nos EUA foram causados pela variante descoberta no Reino Unido, conhecida como B117.

No estudo da máscara, Walensky disse que já havia consenso de que o uso de máscara pode diminuir infecções e mortes por Covid-19. Porém, ela afirma que a nova pesquisa do CDC ressalta a importância de usar uma máscara corretamente, bem ajustada sobre o nariz e a boca.

Walensky disse que qualquer tipo de máscara oferece alguma proteção, “e máscaras bem ajustadas fornecem o melhor desempenho tanto no bloqueio dos aerossóis emitidos quanto na exposição dos aerossóis ao receptor”.

Embora pouco se soubesse sobre a proteção da máscara no início da pandemia, cada vez mais pesquisas fornecem evidências claras sobre a eficácia. Um artigo de junho de 2020 da revista Physics of Fluids explicou que uma tosse pode fazer com que as gotas se propaguem a 3,6 metros em cerca de 50 segundos. Com uma máscara de algodão feita em casa de forma adequada, composta por várias camadas, essas gotas só viajaram cerca de 7 centímetros.

Um outro estudo, de abril de 2020, publicado na Nature Medicine, descobriu que as máscaras cirúrgicas reduziram drasticamente a transmissão de gotas de resfriado e gripe. Um artigo de janeiro, publicado no The Lancet Digital Health, afirma que um aumento no uso de máscaras em uma comunidade mais do que triplicaria sua probabilidade de controlar a disseminação da Covid-19.

Finalmente, um estudo do CDC divulgado este mês descobriu que de 22 de março a 17 de outubro de 2020, 10 locais em estados que instituíram regras que obrigam o uso de máscaras relataram um declínio nas taxas de crescimento de hospitalização por Covid-19 em até 5,5%.

Para garantir o uso adequado da máscara, as recomendações do CDC indicam:

  • Escolher uma máscara com duas ou mais camadas de tecido lavável e respirável.
  • Colocar a máscara sobre o nariz e a boca e prendê-la sob o queixo.
  • Amarrar as alças de orelha de uma máscara cirúrgica, onde elas se prendem à máscara e, em seguida, prender e achatar o material extra perto do rosto (máscaras com nós e dobradas).
  • Ajustar a máscara confortavelmente nas laterais do rosto e enfiar as alças nas orelhas ou amarrar os cordões atrás da cabeça.
  • Se você tiver que ajustar continuamente sua máscara, ela não se ajusta corretamente e você pode precisar encontrar um tipo ou marca de máscara diferente.
  • Usar sua máscara sob o lenço, máscara de esqui ou capuz no tempo frio.
  • Levar consigo uma máscara extra para substituir uma máscara que possa ter ficado molhada.
  • Armazenar as máscaras reutilizáveis úmidas em um saco plástico até que possam ser lavadas.
Com informações do Medscape, CDC, G1. Edição do Setor Saúde.

 



VEJA TAMBÉM

Atazanavir, Sofosbuvir e Daclatasvir

Tacchini participa de pesquisa com antivirais para combater a Covid-19

O Instituto Tacchini de Pesquisa em Saúde (ITPS) está participando de mais um braço de estudos do Coalizão Covid Brasil. Conduzido pelos hospitais que integram o Programa de Apoio ao Desenvolvimento do SUS (PROADI-SUS), o Coalizão IX, batizado de Revolution, tem como objetivo estudar a eficácia e segurança de antivirais já utilizados no combate a outras doenças,

Ferramenta que analisa exames de imagens irá ampliar a participação de pacientes da Santa Casa em pesquisas clínicas  

Para ampliar a elegibilidade e a participação dos seus pacientes em pesquisas clínicas, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre incorporou a ferramenta Medexprim, líder europeu especializado na extração de conjuntos de dados complexos. Agora, qualquer paciente que realizar seus exames de imagem na instituição (como ultrassonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, entre outros) poderá
pesquisa

Pesquisa sobre controle de pressão arterial recruta pacientes com AVC isquêmico

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), em parceria com o Hospital Albert Einstein (SP), realiza estudo sobre o controle de pressão arterial em pacientes que tiveram Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico. Podem participar pessoas com 18 anos ou mais, com pressão alta e diagnóstico de AVC Isquêmico. Interessados podem entrar em contato pelo telefone: (51)