Gestão e Qualidade | 7 de maio de 2018

Projeto Paciente Seguro abre Seminários de Gestão

Superintendente assistencial do Hospital Moinhos de Vento explicou características da iniciativa
Projeto Paciente Seguro abre Seminários de Gestão
 

“Nem toda mudança resulta em melhoria, mas toda a melhoria requer mudanças”. Esta frase ilustra a primeira palestra do Seminários de Gestão, apresentada pela enfermeira Vânia Rohsig, superintendente assistencial do Hospital Moinhos de Vento, que falou sobre a implantação e resultados do Projeto Paciente Seguro. Sucesso de público, o evento contou com auditório lotado novamente, assim como a primeira edição ocorrida em março, com 200 inscritos.

Com o tema “Segurança do Paciente”, a 6ª edição do evento Seminários de Gestão: Segurança do Paciente, promovido pela Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do RS (FEHOSUL), Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA) e Associação dos Hospitais do Rio Grande do Sul (AHRGS), ocorreu no Hotel Continental, em Porto alegre, na sexta-feira (4). Os patrocinadores deste encontro foram o Banrisul e Pixeon. O portal Setor Saúde é o veículo de comunicação oficial do evento e a Fasaúde/IAHCS é a instituição de Ensino Superior responsável pela emissão dos certificados do evento, com apoio do IAHCS Acreditação.

Público presente ao evento

Público presente ao evento

 

O discurso de abertura foi realizado pelo presidente do Sistema FEHOSUL – e da Organização Nacional de Acreditação (ONA) -, Cláudio José Allgayer, que agradeceu aos presentes e destacou a importância de discutir a segurança do paciente. “Este evento se insere num conjunto de atividades promovidas pela FEHOSUL E AHRGS. Também dão início às comemorações de 50 anos da AHRGS e dos 30 anos da FEHOSUL”, afirmou. Allgayer ressaltou que em junho, nova edição está agendada, com um novo tema. “ Aproveito para convidá-los para o próximo evento, com o tema “Qualidade e Certificação em Saúde”, que ocorrerá no dia 15 de junho, neste mesmo local”, finalizou.

“ Aproveito para convidá-los para o próximo evento, com o tema “Qualidade e Certificação em Saúde”, que ocorrerá no dia 15 de junho, neste mesmo local”

“ Aproveito para convidá-los para o próximo evento, com o tema ´Qualidade e Certificação em Saúde´”, que ocorrerá no dia 15 de junho, neste mesmo local”

 

Vânia Rohsig

A enfermeira Vânia Rohsig, superintendente assistencial do Hospital Moinhos de Vento e mestre em Ciências da Saúde, apresentou a Implantação e Resultados do Projeto Paciente Seguro, sob coordenação do Hospital Moinhos de Vento e Ministério da Saúde.

Projeto Paciente Seguro – Implantação do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) foi desenvolvido por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), do Ministério da Saúde, e realizado em parceria com o Hospital Moinhos de Vento. O Proadi-SUS é desenvolvido por instituições de excelência para qualificar a assistência no SUS, as chamadas Entidades de Saúde de Reconhecida Excelência (ESRE) – Hospital Albert Einstein (SP); Hospital Sírio-Libanês (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Alemão Oswaldo Cruz (SP) e Hospital Moinhos de Vento (RS).

Rohsig explicou que, por meio do Proadi-SUS, são desenvolvidas pesquisas de interesse público em saúde; desenvolvimento de Técnicas e Operação de Gestão em Serviços de Saúde; estudos de Avaliação e Incorporação de Tecnologia; e capacitação de Recursos Humanos. A superintendente assistencial lembrou que o Projeto Restinga (Hospital da Restinga) é outro dos projetos que o Hospital Moinhos de Vento desenvolve, por meio do PROADI-SUS.

De 2015 a 2017, 15 hospitais participantes compartilharam os resultados e aprendizado obtido ao longo do Projeto, que teve como objetivo buscar soluções para prevenir eventos adversos e melhorar a segurança de usuários nos hospitais públicos. “Um projeto 100% focado no paciente. É importante ressaltar que todas as regiões do país tiveram hospitais entre os 15 participantes do projeto”. O Projeto possui referencial teórico, material educativo, ferramentas de integração e aprendizado coletivo. “Importante ressaltar que o foco principal do Projeto é o paciente”, enfatizou Rohsig.

Durante o Projeto, a equipe, composta por enfermeiros e farmacêuticos, realizou o diagnóstico e desenvolveu atividades voltadas para melhoria dos processos assistenciais relacionadas às metas de segurança do paciente. Um levantamento realizado em setembro de 2017 apontou uma média de redução de 33% na taxa de quedas de pacientes e 15% nos índices de lesão por pressão, metas prioritárias dentre as demais estabelecidas. “Conseguimos melhorar em 30% em prevenção de quedas e chegamos perto de zero no número de quedas”, frisou.

Cláudio Allgayer, Vânia Rohsig, Henri Chazan e Flávio Borges

Cláudio Allgayer, Vânia Rohsig, Henri Chazan e Flávio Borges

 

Eventos adversos

Um dos tópicos abordados foram os eventos adversos (que são danos causados pelo cuidado à saúde e não pela doença em si) que ocorrem dentro dos hospitais. De acordo com Rohsig, estudos em diversos países apontam a alta incidência de eventos adversos, sendo de 10 a 50% dos casos evitáveis. “Os erros médicos são a terceira causa de morte nos EUA, com 251 mil mortes por anos”, frisou.

Rohsig apresentou as estratégias globais de segurança do paciente. Um dos exemplos citados foi a Aliança Mundial de Saúde para a Segurança do Paciente, desenvolvida em 2004 pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Desde então, a OMS já organizou 3 desafios globais: “higiene das mãos” (2005 a 07), “cirurgias seguras salvam vidas” (2007 a 08) e “o uso seguro de medicamentos” (2017 a 2022). No Brasil, foi citado o Plano Nacional de Segurança do Paciente, que foi implementado pela ANVISA com a Resolução de Diretoria Colegiada 36 (RDC 36) em 25 de julho de 2013. Este Plano institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde.

Durante os três anos do Paciente Seguro, foi valorizada a troca de informações entre os 15 hospitais participantes. A equipe técnica do hospital Moinhos de Vento, coordenador do Projeto, forneceu apoio presencial da equipe técnica e também apoio à distância durante todo o projeto.

Vânia Rohsig (Hospital Moinhos de Vento)

Vânia Rohsig (Hospital Moinhos de Vento)

 

As estratégias para melhorar um sistema de saúde foram explicadas pela superintende assistencial em três pilares: vontades, ideias e execução. Rohsig enfatizou um método científico para realizar mudanças que resultam em melhorias, baseado em três questões que fornecem a estratégia:

O que estamos tentando realizar?

Como saberemos se uma mudança é uma melhoria?

Que mudanças podemos fazer que resultarão em melhoria?

Ciclo PDSA e ampliação do Projeto

Para desenvolver estas melhorias, Rohsig citou o ciclo PDSA – Plan (planejar); Do (fazer); Study (estudar, analisar); e Act (agir). “O ciclo PDSA nos ajuda a criar estratégias de mudança e melhoria. É importante ressaltar que nem toda mudança resulta em melhoria. Porém, toda melhoria que quisermos necessita de mudanças”, explicou a superintendente assistencial. A partir destes conceitos, cada hospital participante do projeto teve um quadro de aprendizagem organizacional, onde são anotados resultados, processos e defeitos.

Se o primeiro triênio do Projeto Paciente Seguro, que ocorreu entre 2015 e 2017, contou com 15 hospitais envolvidos, a projeção para o próximo triênio é triplicar, contando com 45 hospitais nesta próxima fase, de acordo com Rohsig. “Já temos a aprovação da continuidade do Projeto. Estes 15 hospitais, de todo o Brasil, foram treinados e capacitados. Cada um agora será responsável por três hospitais novos no Projeto, e vamos atingir assim 45 hospitais, formando uma rede que tanto sonhamos, onde todos ensinam e todos aprendem”, finalizou.

Rohsig também citou outro projeto colaborativo em andamento, chamado “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”. De acordo com a superintendente assistencial, o projeto visa, entre outras metas, reduzir em 50% as Infecções Relacionadas  à Assistência à Saúde (IRAS). “O Projeto já foi lançado e tem 120 hospitais selecionados, com 600 representantes das instituições participantes”, finalizou.

Missão do Moinhos até 2027

A missão do Hospital Moinhos de Vento de ser o melhor hospital do Brasil em qualidade médico-assistencial até 2027 foi reforçada na apresentação. Rohsig disse que o foco principal da instituição é cuidar de vidas. Ela explicou que educação, pesquisa e assistência são três diretrizes interligadas que são fundamentais para consolidar o cuidado centrado no paciente e valor baseado em desfechos clínicos.

Rohsig aproveitou para ressaltar a importância histórica do Hospital Moinhos de Vento, que em 2017 completou 90 anos. “Um dos grandes legados do Moinhos, que foi deixado desde o início pela comunidade alemã, foi entender que educação e assistência andam juntos”, ressaltou.  “Qualidade e segurança já nasceram juntos com o Hospital Moinhos”, completou.

A superintendente assistencial enfatizou que a filosofia de segurança ganhou força nos anos 90. Em 1994, o Hospital Moinhos de Vento aderiu ao Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP). Também foram citados os oito pilares dos valores da instituição: excelência; qualidade e segurança; ética e integridade; foco em resultados; compromisso; protagonismo e inovação; gentileza e compaixão; união e colaboração.

O evento também contou com a presença do Dr. Ricardo Kuchenbecker (Gerente de Risco do Hospital de Clínicas de Porto Alegre); a enfermeira Cassiana Gil Prates (Coordenadora de Epidemiologia e Gerenciamento de Riscos do Hospital Ernesto Dornelles); Dr. Antonio Quinto Neto (Diretor do Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre e um dos pioneiros da Acreditação Hospitalar no país) ; Dr. Eduardo Paglioli (Neurocirurgião do Hospital São Lucas da PUCRS); e Dra. Renata Farinon (Gerente de Linha de Contato do Paciente e Médica do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente do Hospital São Lucas da PUCRS).

Nesta edição, um dos destaques foi o médico neurocirurgião Eduardo Paglioli, que abordou a sua experiência como paciente, instigando o público a refletir sobre como é “estar do outro lado”. Também foi apresentada uma participação especial em vídeo diretamente de Amsterdam (Holanda) do idealizador do Seminários de Gestão e atual Diretor Executivo do Hospital Sírio-Libanês, Fernando Torelly, que trouxe as últimas tendências do The International Forum on Quality and Safety in Healthcare, evento promovido em parceria com o conceituado periódico British Medical Journal (BMJ) e Institute for Healthcare Improvement (IHI), entre os dias 2 e 4 de maio.

Nos próximos dias, o Setor Saúde apresenta detalhes de cada palestra.

Palestrantes debatem e respondem perguntas do público

Palestrantes debatem e respondem perguntas do público

VEJA TAMBÉM

ACREDITAÇÃO

Oncoclínica Porto Alegre recebe certificação internacional da Joint Commission (JCI) 

A Oncoclínica Porto Alegre foi certificada pela Joint Commission International (JCI) em reconhecimento ao compromisso contínuo da instituição com padrões internacionais de referência em segurança e qualidade. Segundo a instituição de saúde, esta é a primeira clínica do Rio Grande do Sul a receber esta certificação no Programa de Assistência Ambulatorial. O selo da JCI reconhece que a
Mudanças no mercado

UnitedHealth reestrutura operações no Brasil e substitui presidente da AMIL

aa De acordo com informações do grupo norte-americano UnitedHealth Group (UHG), dona da Amil, o médico pediatra José Carlos Magalhães assume como CEO da companhia em substituição a Claudio Lottenberg, que estava no cargo desde 2016.   Magalhães também acumulará o cargo de CEO do Americas Serviços Médicos, braço hospitalar do grupo,  de acordo com nota oficial divulgada
Serra gaúcha

Casa de Repouso Elisa Tramontina em Carlos Barbosa implanta serviço de reabilitação a idosos

A Casa de Repouso Elisa Tramontina (CRET) integrante do Tacchini Sistema de Saúde, está oferecendo à comunidade regional um serviço diferenciado na área de fisioterapia, tendo como público-alvo idosos que tiveram algum trauma ou passaram por procedimentos cirúrgicos e que precisam de reabilitação, principalmente na região do quadril e/ou joelho. O trabalho é realizado por uma equipe