Mundo | 3 de maio de 2018

Primeiro transplante de pênis e escroto no mundo é realizado nos EUA

Procedimento foi realizado pela Universidade Johns Hopkins
Primeiro transplante de pênis e escroto no mundo é realizado nos EUA

Um soldado norte-americano ferido no Afeganistão foi submetido ao primeiro transplante completo de pênis e escroto no mundo, realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade John Hopkins, dos Estados Unidos. O procedimento cirúrgico foi realizado no dia 26 de março.

Uma equipe de nove cirurgiões plásticos e dois cirurgiões urológicos participou da cirurgia de 14 horas. Eles transplantaram de um doador falecido todo o pênis, escroto (sem testículos) e parede abdominal parcial. Transplantes penianos já haviam sido feitos, mas este é o primeiro que inclui a soma do escroto no procedimento, o que representa um avanço para a medicina.

O ex- combatente deseja permanecer anônimo. Ele se recuperou da cirurgia e foi liberado do hospital no final de abril. O transplantado afirmou que o ferimento sofrido “não era fácil de aceitar”, mas agora se sente “mais normal” e com “um certo nível de confiança também”. A lesão devastadora ocorreu há vários anos, por um dispositivo improvisado enquanto o soldado servia no Afeganistão.

“Estamos otimistas de que ele recuperará as funções urinárias e sexuais quase normais”, disse W. Andrew Lee, diretor de cirurgia plástica e reconstrutiva da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

O paciente, que também perdeu as duas pernas na explosão, antes de deixar o hospital, teve o cateter da bexiga removido e a função urinária restaurada. A função sexual, incluindo a sensação e a capacidade de obter uma ereção, pode ser obtida em cerca de seis meses, de acordo com Richard Redett, cirurgião plástico da Johns Hopkins e diretor clínico do programa de transplante geniturinário.

Os médicos decidiram não dar os testículos do paciente depois de consultar os bioeticistas. Eles determinaram que o tecido gerador de espermatozoides conferiria o potencial para ter filhos com material genético do doador. Duas semanas após a cirurgia do pênis, o paciente recebeu infusões de medula óssea do doador.

Com informações da Johns Hopkins Medicine. Edição do Setor Saúde.

VEJA TAMBÉM

Estudo indica contaminação dos cilindros de oxigênio por superbactérias em ambulâncias

Os cilindros de oxigênio de ambulância provavelmente carregam a bactéria resistente a antibiótico Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA, na sigla em inglês). É o que sugere um estudo realizado nos Estados Unidos, apontando para a necessidade de desinfecção regular destes equipamentos médicos. Pesquisadores testaram cilindros de oxigênio transportados em ambulâncias do serviço de socorro médico norte-americano (Emergency Medical
INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

GSK e a Pfizer anunciam joint venture na área produtos “sem prescrição”

As gigantes da indústria farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) e a Pfizer estão unindo suas divisões de produtos “sem prescrição” ou produtos de consumo – conhecidos como Consumer Healthcare -, como analgésicos e vitaminas, com vendas combinadas de cerca de 12,7 bilhões de dólares. A empresa britânica GSK terá 68% da joint venture, que reunirá marcas como Sensodyne, Voltaren

Estados Unidos aprovam novo antibiótico para a diarreia do viajante

A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), aprovou o novo antibiótico Aemcolo (do grupo de antibióticos rifamicina, produzida pela Cosmo Technologies), para tratar adultos com diarreia dos viajantes causada por cepas não invasivas da bactéria Escherichia coli (E. coli), e não complicadas por febre ou sangue nas fezes. Este é o primeiro