Gestão e Qualidade | 2 de julho de 2018

Hospital Tacchini passa a utilizar lenha ecológica em sua caldeira e deixará de emitir 32 toneladas de monóxido de carbono

Estimativa de reduzir em até 75% a emissão de gases
Hospital Tacchini passa a utilizar lenha ecológica em sua caldeira e deixará de emitir 32 toneladas de monóxido de carbono

O Hospital Tacchini, de Bento Gonçalves, está utilizando, desde maio, em sua caldeira os briquetes, uma espécie de lenha ecológica feita de serragem de madeira reflorestada e, assim, deixando de lado a lenha de acácia, usada até então. O processo é altamente vantajoso para a Instituição, por reduzir significativamente a emissão de gases na atmosfera e por permitir aos funcionários que realizam o serviço melhores condições de segurança e ergonomia.

Briquetes

 

Com o novo sistema, o Hospital Tacchini deixa de emitir cerca de 32 toneladas de monóxido de carbono ao ano, ou seja, 75% menos que o sistema anterior. “Ou seja, evitamos o corte de mais de 33 mil árvores a cada ano”, explica o Engenheiro Adriano Postal, que acompanhou o processo de implantação dos briquetes.

Hoje, o Hospital Tacchini alimenta com seu sistema de caldeira as áreas da lavanderia, aquecimento dos quartos, aquecimento de água dos banhos, o processo de esterilização e equipamentos da cozinha.

Outras vantagens com o uso dos briquetes:

Controle da umidade: por ser um material compactado e industrializado, o controle da umidade passa a ser constante. Assim, reduz-se a emissão de fumaça;

Controle de vetores: como os briquetes são entregues em paletes, todo material vem embalado e isso evita a presença de aranhas e outros insetos em espaços frequentados pelos funcionários, principalmente as áreas assistenciais.

Melhoria aos funcionários: a área próxima a caldeira passou por reformas, ganhando um elevador eliminando-se etapas de manuseio. Também, pelo fato do briquete ter tamanho e peso padronizado, todo este processo trouxe melhoria das condições de trabalho.

TÓPICOS ,

VEJA TAMBÉM