Empregabilidade e Aperfeiçoamento, Gestão e Qualidade | 26 de novembro de 2012

Diretor da ANS destaca a questão da qualidade dos prestadores de serviços

Bruno Sobral falou sobre o programa Qualiss, da ANS, e também sobre as mudanças da nova atualização da TISS, em seminário promovido pela FEHOSUL
Diretor_ANS

A FEHOSUL realizou no dia 23 de Novembro, o Seminário Política de Relacionamento Operadoras X Prestadores de Serviços com a presença do Diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Dr. Bruno Sobral, do Rio de Janeiro.  O gestor da agência apresentou o programa Qualiss (Programa de Monitoramento de Prestadores de Saúde), voltado para a melhoria  da qualidade dos prestadores de serviços e também sobre a nova versão da TISS, que foi atualizada no final de outubro. O evento, presidido pelo vice-presidente da FEHOSUL, deputado estadual Pedro Westphalen, contou com a participação de 50 dirigentes, lideranças e profissionais de hospitais, clínicas e laboratórios.

O Qualiss é um dos programas prioritários que integra a denominada “agenda regulatória” da ANS, que visa incentivar prestadores de serviços – hospitais, clínicas e laboratórios – a buscarem níveis mais elevados de qualidade no atendimento. Um estudo do Banco Mundial apontou que 70% dos gastos em saúde são destinados aos serviços hospitalares, porém, modelos de gestão e governança inapropriados impedem, muitas vezes, que os pacientes desfrutem da qualidade necessária no seu atendimento.

Segundo o diretor da ANS, o Qualiss vem contribuir para o aumento do poder de avaliação e escolha por parte dos usuários de planos de saúde; além de colocar o paciente como um dos agentes responsáveis pelas decisões relativas ao seu atendimento na rede credenciada. Pretende ainda, estimular a adesão entre os prestadores, incentivando a busca por melhores níveis de qualidade.

De acordo com o programa, os prestadores de serviços que decidirem participar – a adesão é voluntária – serão identificados nos livros de informações e nos sites das operadoras de saúde com selos que indicam os melhores serviços assistenciais. “É como a revista Quatro Rodas faz, quando classifica hotéis e restaurantes, por exemplo. Também iremos identificar os prestadores que tiverem certificados de acreditação, ou participarem do Notivisa, programa de notificação de incidentes da Anvisa”, explicou o Diretor da ANS.

“A ANS entende que os prestadores estão interessados em investir em qualidade, mas quem o fez até hoje foi por vocação e não pensando na questão comercial, em poder agregar valor com a divulgação dessa busca pela qualidade. O Qualiss é para reconhecer quem já fez por vocação, mas também estimular os prestadores que ainda não fizeram, pegando esse viés do comercial”, acrescentou Dr. Sobral.

Para a representante do Instituto de Oncologia, de Passo Fundo, Ivanete Gil, o evento foi muito importante, pois trouxe informações sobre o Qualiss, que era uma novidade para ela. “O paciente está sempre em busca de qualidade e esse programa da ANS está mostrando como devemos fazer isso. Tem muitos profissionais com excelente qualidade e que não tem reconhecimento. O Qualiss vem ao encontro dessa necessidade”, afirmou.

TISS

Sobre a TISS, o Diretor da agência explicou sobre a atualização para a versão 3.0, que foi publicada no final de outubro, por meio da Resolução Normativa (RN) 305. Prestadores de serviços e operadoras de saúde tem até o dia 30 de novembro de 2013 para se adequarem às mudanças, que, na opinião do Dr. Sobral era uma necessidade para atender às demandas do setor.

A RN 305 com a versão 3.0 da TISS complementa o faturamento com ampliação da TUSS e inclui terminologias de diárias, taxas, gases medicinais, medicamentos, materiais e OPMEs, além de padronizar rotinas de recursos de glosa.

“A informação é poder e deve estar na mão do consumidor. Com as mudanças da TISS esses dados chegam aos beneficiários, que são os principais interessados sobre tudo o que envolve autorizações e pagamentos de tratamentos, por exemplo”, explicou o diretor da ANS, que veio ao Estado especialmente atendendo ao convite da FEHOSUL.

 

Administração de Compras em Hospitais, em Canoas

Outro seminário foi realizado pela FEHOSUL no mesmo dia, no Canoas Parque Hotel, em Canoas. O Administração de Compras em Hospitais, foi ministrado pelo administrador de empresas Ornélio Dias de Moraes, consultor da área da saúde, pós-graduado em Administração Hospitalar, especializado em vendas, compras, marketing e materiais. O evento contou com a participação de representantes de hospitais e clínicas de Porto Alegre e do interior.

Com essas duas atividades, a FEHOSUL encerra sua programação de eventos em 2012. A programação para o próximo ano deve ser divulgada no Portal Setor Saúde a partir de fevereiro.

 

VEJA TAMBÉM

Hospital de campanha junto ao Hospital Dom João Becker completa um mês de funcionamento em Gravataí

O hospital de campanha montado junto ao Hospital Dom João Becker  completa seu primeiro mês de funcionamento na sexta-feira (10). O local de aproximadamente 400 metros quatros é referência para todos os pacientes com sintomas gripais e respiratórios no município de Gravataí, na Grande Porto Alegre. Segundo a instituição hospitalar, mais de 1,5 mil pessoas já foram atendidas e cerca de 80 foram internadas. A estrutura temporária conta com central de triagem, quatro consultórios, sala de medicação,

Jorge Bajerski fala sobre ensinamentos e o papel do Hospital de Clínicas de Porto Alegre na pandemia

O  Hospital de Cínicas de Porto Alegre (HCPA) é uma das instituições de referência para tratamento da Covid-19 no Rio Grande do Sul. Para abordar como a instituição está agindo para enfrentar o coronavírus, a Faculdade de Tecnologia em Saúde (Fasaúde/IAHCS) promoveu a Live O Hospital de Clínicas de Porto Alegre e a Covid-19, com

Santa Casa de Porto Alegre lança primeira ferramenta do mundo que detecta prescrições fora do padrão

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, por meio de seu Centro de Inovação, em parceria com a NoHarm.ai, desenvolveu dois algoritmos de automação para triagem farmacêutica. As duas inteligências trabalham em conjunto. Enquanto a primeira prioriza as prescrições mais críticas, a segundo indica potenciais erros da prescrição, levando em consideração os resultados dos exames do paciente, o