Mundo, Tecnologia e Inovação | 6 de maio de 2020

Covid-19: Pfizer e BioNTech iniciam testes de vacina em humanos

Se os testes forem bem-sucedidos, a expectativa é iniciar comercialização no mês de setembro
Covid-19 Pfizer e BioNTech iniciam testes de vacina em humanos

A Pfizer e a empresa farmacêutica alemã BioNTech anunciaram o início de testes em humanos de uma vacina contra a Covid-19. Se os testes forem bem-sucedidos, a vacina poderá estar pronta para uso emergencial ainda em setembro (com distribuição inicial nos Estados Unidos). Os testes, que iniciaram no dia 4, contemplam 360 voluntários, distribuídos em grupos com idade entre 18 e 55 anos na primeira fase e entre 65 e 85 anos na segunda etapa.

As duas empresas estão desenvolvendo em conjunto um candidato a vacina baseado em material genético conhecido como RNA mensageiro, que carrega as instruções para as células produzirem proteínas. Ao injetar um RNA mensageiro especialmente projetado no corpo, a vacina poderia “informar” às células como produzir a proteína de pico do coronavírus.  Como o vírus normalmente usa essa proteína como chave para desbloquear e controlar as células pulmonares, a vacina pode treinar um sistema imunológico saudável para produzir anticorpos para combater uma infecção. A tecnologia também tem a vantagem de ser mais rápida e mais estável do que as vacinas tradicionais, que usam cepas de vírus enfraquecidas.

vacine_covid19_pfizer

Vacina BNT162 iniciou testes na Alemanha

A vacina chamada BNT162 começou a ser testada na Alemanha no mês passado. O primeiro passo, em fase experimental, foi dado com apensas 12 adultos, embora a previsão é que o estudo alemão possa ser expandindo para cerca de 200 participantes.


“Com o nosso programa de estudos clínicos exclusivo e robusto em andamento, começando na Europa e agora nos EUA, esperamos avançar de forma rápida e colaborativa com nossos parceiros da BioNTech e autoridades reguladoras para levar uma vacina segura e eficaz aos pacientes. O curto prazo de menos de quatro meses, em que fomos capazes de passar de estudos pré-clínicos para testes em humanos, é extraordinário e demonstra, ainda mais, nosso compromisso de dedicar nossos melhores recursos, do laboratório à fabricação, na batalha contra o COVID-19 ”, disse Albert Bourla, Presidente e CEO da Pfizer.

“É encorajador termos sido capazes de alavancar mais de uma década de experiência no desenvolvimento de nossas plataformas de mRNA para iniciar um ensaio clínico global, em várias regiões, para o nosso programa de vacinas em um período tão curto. Estamos otimistas de que o avanço de várias candidatas a vacina em testes em humanos nos permitirá identificar as opções de vacinação mais seguras e eficazes contra o COVID-19 ”, disse o CEO e co-fundador da BioNTech, Ugur Sahin.


Milhões de doses em 2020

Pfizer e BioNTech estimam fabricar milhões de doses este ano e aumentar a produção para centenas de milhões em 2021. Inicialmente, as instalações da Pfizer em três estados dos EUA (Massachusetts, Michigan e Missouri), além de Puurs, na Bélgica, foram identificadas como centros de fabricação apropriados para a produção em grande escala das vacinas contra a COVID-19. A Pfizer diz que novos locais podem ser selecionados em breve.

Outras empresas como a Moderna, Inovio, CanSino e algumas gigantes da indústria farmacêutica estão tentando abordagens semelhantes, algumas das quais começaram a primeira fase de testes em humanos há algumas semanas.

Saiba mais: Coronavírus: Reino Unido inicia testes de vacina em humanos

 

Com informações Fierce Biotech, Pfizer (EUA). Edição SS.

 

VEJA TAMBÉM