Gestão e Qualidade | 9 de maio de 2019

“Quem faz melhor, precisa ser reconhecido” diz Helton Freitas ao apresentar case de sucesso da Unimed BH

Diretor-presidente da Seguros Unimed foi o terceiro palestrante do Sustentabilidade em Saúde
Quem faz melhor, precisa ser reconhecido diz Helton Freitas ao apresentar case de sucesso da Unimed BH

A experiência de sucesso com a remuneração baseada em valor da Unimed BH foi tema da apresentação do diretor-presidente da Seguros Unimed, Helton Freitas. Presidente da Unimed BH de 2006 a 2014, ele explicou como a instituição implementou a mudança na remuneração de seus prestadores de serviços, estimulando-os na busca da melhoria assistencial contínua.

Tendo como tema Sustentabilidade em Saúde, a primeira edição do Seminários de Gestão em 2019, ocorreu no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. O evento foi promovido pela Federação dos Hospitais do Rio Grande do Sul (FEHOSUL), em parceria com a Associação dos Hospitais do Rio Grande do Sul (AHRGS) e o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA).


Sucesso de público

Sucesso no setor de saúde gaúcho, o Seminários de Gestão contou com auditório lotado – as inscrições se encerraram com três dias de antecedência. Patrocinaram o evento o banco Banrisul, o laboratório farmacêutico MSD, a empresa de soluções de tecnologia em saúde MV e a operadora de saúde Unimed Porto Alegre. A certificação é da Fasaúde/IAHCS e os apoiadores desta edição foram o IAHCS Acreditação e o portal Setor Saúde – canal de comunicação oficial do evento.


Guia de modelos de remuneração baseado em valor apresentado pela ANS em evento da FEHOSUL_Publico

Saúde baseada em valor e as seis estratégias de atuação da Seguros Unimed

O diretor-presidente da Seguros Unimed apontou uma mentalidade de transformação no cuidado de saúde, que deixa de se basear em um modelo que incentiva a utilização [fee-for-service], para um modelo baseado em valor agregado para o paciente. Para atingir esse objetivo, foram traçadas seis estratégias – todas interligadas:

Organizar-se em unidades de prática integrada (UPI);

Medir os resultados e custos de cada paciente;

Mudar para pagamentos em pacote de círculos de atendimento;

Integrar a prestação de cuidados em diversos locais;

Expandir serviços de excelência através da área de abrangência; e

Construir uma plataforma de troca de informação (para possibilitar o controle das informações dos itens acima).

Valor não é sinônimo de reduzir custos 

Freitas enfatizou que valor não é sinônimo de reduzir custos, mas significa alcançar bons resultados com a maior eficiência possível. E, para serem alcançados os melhores resultados, é preciso trabalho integrado em equipe. Um ponto fundamental para um sistema de mensuração de resultados é a disponibilidade de dados uniformes, confiáveis e comparáveis. “As equipes de saúde devem trabalhar continuamente para aprimorar os processos assistenciais e torná-los mais seguros. Para romper as barreiras culturais e aprimorar os resultados do cuidado, é fundamental mostrar aos médicos os seus dados”, explicou.

Helton Freitas

Helton Freitas

xxx

“Quem faz melhor, precisa ser reconhecido”

A Unimed BH se tornou um dos exemplos de modelos inovadores de valorização por qualidade. Um deles é a remuneração variável, baseada em indicadores que compõem o Índice de Qualidade Assistencial (IQA), com médicos cooperados remunerados pelas melhores práticas médicas. Outro é o Selo de Excelência Assistencial, que reconhece os prestadores das redes própria e credenciada a partir da melhor experiência oferecida aos clientes.

De acordo com o palestrante, as reformas no sistema de saúde, tendo como pilares a qualidade e valor, devem ser realizados com o teste de novos modelos, para incorporá-los em um número crescente de práticas. Assim, a experiência da Seguros Unimed passou a ser realizada em projetos-piloto com pequenos grupos de pacientes, com a integração de prestadores em linhas de cuidado e parcerias estratégicas baseadas em excelência e valor.

Freitas explicou que as estratégias têm como foco selecionar adequadamente os pacientes nos grupos, compreender diferentes formas de engajamento dos pacientes, mensurar os resultados para ajustar o modelo, avaliar soluções tecnológicas e estimular uma mudança cultural progressiva.


“Quem faz melhor, precisa ser reconhecido. Não estamos fazendo nenhuma grande disrupção, mas procurando prestadores que queiram experimentar uma nova experiência proposta”, disse.


 As inovações da Unimed BH

O diretor-presidente ressaltou um cenário de envelhecimento da população, destacando a aplicação das carteiras dos clientes específicas por faixa etária. Além disso, mencionou que há aumento na taxa de consulta eletiva em todas as faixas etárias, aumento na taxa de reinternação. “Estes são fatores para o aumento do custo em saúde”, disse o palestrante, que também apontou um cenário que coloca em xeque novas e velhas tecnologias.

Colocar o paciente no centro dos cuidados é uma das estratégias fundamentais adotadas. “Tem que ser um sistema voltado para o cliente, que o coloque de fato no centro e que vise o melhor benefício para esse cliente. Precisamos reduzir desperdício com burocracia, ter equidade, integrar tecnologicamente, o acesso ser orientado – não pode ser qualquer acesso”, salientou.

O palestrante apresentou a cronologia de mudança na remuneração, com a consolidação de itens administrativos e de faturamento, entre os anos 2000 e 2001. Freitas também salientou, que desde 2005, foi implantado na operadora uma ação de incentivo à acreditação e, em 2007, os processos classificados pela ferramenta DRG.

Em 2016, foi implementado um Guia de indicadores assistenciais para médicos e cooperados. “Os médicos precisam ser gerenciados para uma melhor assistência e melhor cuidado do paciente”.

Em 2017, 14 hospitais receberam o Selo de Excelência Assistencial, iniciativa própria da operadora que iniciou em 2016.

Em 2018, teve início um piloto de orçamentação baseado em DRG. “Com o DRG, lá nos anos anteriores, conseguimos agrupar os hospitais em grupos homogêneos, divididos pelos níveis de complexidade de cada instituição (divididos em quatro grupos) ”, explicou.

Cláudio Allgayer, Helton Freitas e Odacir Rossato

Cláudio Allgayer, Helton Freitas e Odacir Rossato

XX

Dimensões utilizadas para promover incentivos aos prestadores: Selo de Excelência

Freitas destacou que para inovar no modelo assistencial atual, é preciso também mudar o modelo de remuneração. Como mencionado, a Unimed BH passou a incentivar os prestadores com incrementos no faturamento anual bruto, a partir do Selo de Excelência Assistencial Hospitalar, iniciativa voltada para a qualificação dos prestadores de serviços, onde são avaliadas cinco dimensões:

Segurança,

Acesso,

Desempenho, 

Experiência do cliente, e

Certificação (acreditação).

Estes elementos estão fundamentados na Política Nacional de Segurança do Paciente, em indicadores assistenciais e nas melhores práticas médicas. Para prestadores de serviços com acreditação, a Unimed BH estipulou ganhos que podem chegar a até 15%, avaliados conjuntamente com cálculos que envolvem outas conquistas.

Com três dimensões bem avaliadas, há incentivo de 1,8% ao prestador na remuneração; com quatro dimensões conquistadas, incentivo de 2,4%; com cinco, 3% (percentual do faturamento bruto anual do prestador).

Clientes

Entre os ganhos com o cliente a partir da experiência com DRG, houve diminuição de 7% de condições adquiridas, de 11% nas reinternações após 30 dias e diminuição de 10% no tempo médio de permanência cirúrgica. Freitas também apontou que aumentou a satisfação do paciente com a equipe, otimização dos procedimentos previstos com a Cirurgia Segura e maior conhecimento do cliente a respeito das medidas de prevenção de queda.

“ Se incentivar financeiramente, você obtém resultados. Creio que é uma longa caminhada, estamos nos primeiros passos”, concluiu Helton Freitas.


Confira a matéria publicada sobre a primeira apresentação do evento, apresentada pelo diretor de desenvolvimento setorial da ANS, Rodrigo Aguiar.

A definição de valor em saúde do Sírio-Libanês e os desafios dos setores público e privado, por Fernando Torelly. 

Nos próximos dias, serão publicadas as matérias sobre as demais apresentações, no Setor Saúde.


 

 

VEJA TAMBÉM

ACREDITAÇÃO

Oncoclínica Porto Alegre recebe certificação internacional da Joint Commission (JCI) 

A Oncoclínica Porto Alegre foi certificada pela Joint Commission International (JCI) em reconhecimento ao compromisso contínuo da instituição com padrões internacionais de referência em segurança e qualidade. Segundo a instituição de saúde, esta é a primeira clínica do Rio Grande do Sul a receber esta certificação no Programa de Assistência Ambulatorial. O selo da JCI reconhece que a
Mudanças no mercado

UnitedHealth reestrutura operações no Brasil e substitui presidente da AMIL

aa De acordo com informações do grupo norte-americano UnitedHealth Group (UHG), dona da Amil, o médico pediatra José Carlos Magalhães assume como CEO da companhia em substituição a Claudio Lottenberg, que estava no cargo desde 2016.   Magalhães também acumulará o cargo de CEO do Americas Serviços Médicos, braço hospitalar do grupo,  de acordo com nota oficial divulgada
Serra gaúcha

Casa de Repouso Elisa Tramontina em Carlos Barbosa implanta serviço de reabilitação a idosos

A Casa de Repouso Elisa Tramontina (CRET) integrante do Tacchini Sistema de Saúde, está oferecendo à comunidade regional um serviço diferenciado na área de fisioterapia, tendo como público-alvo idosos que tiveram algum trauma ou passaram por procedimentos cirúrgicos e que precisam de reabilitação, principalmente na região do quadril e/ou joelho. O trabalho é realizado por uma equipe