Gestão e Qualidade, Tecnologia e Inovação | 1 de julho de 2016

Funcionalidades de um quarto de hospital que ajudam a manter o paciente seguro

São 16 características de um leito hospitalar moderno, algumas existentes e outras em desenvolvimento
Funcionalidades de um quarto de hospital

Os hospitais mais inovadores adquirem características de segurança em todo os seus setores e unidades, desde a sala de cirurgia até o quarto de cada paciente. A American Association of Retired Persons (AARP, uma organização sem fins lucrativos para aposentados dos EUA – www.aarp.org) elaborou uma lista com recursos fundamentais que um quarto de hospital moderno, de vanguarda, deve ter.

De medidas simples à novas tecnologias, veja cada item, de acordo com o número da imagem:

1)    Armários de dupla face – Estes armários permitem que a equipe de arrumação reponha os lençóis sem ter que entrar no quarto do paciente, o que minimiza a propagação da infecção e permite que os pacientes descansem sem serem perturbados.

2)    Código de barras – Códigos de barras especiais para cada dose de medicação aumenta a segurança, pois combina o medicamento certo para o paciente certo. Os profissionais devem digitalizar/escanear as informações no código de barras da medicação e depois na pulseira do paciente antes que o medicamento possa ser administrado.

3)    Sistemas de abastecimento “dual-bin” – No sistema dual-bin, uma janela entre o quarto e o corredor ajuda a manter o abastecimento de medicamentos, para que não haja surpresas em uma crise do paciente. Se o local estiver vazio, é facilmente visto e reabastecido pela equipe.

4)    Estação de Higiene – Lavar as mãos é a forma mais importante para evitar a infecção. Os provedores devem ter um lugar para lavar as mãos tão perto quanto possível do efetivo local de atendimento.

5)    Porta com quadro de aviso – Uma porta de vidro opaco proporciona privacidade, enquanto um quadro de aviso permite que pacientes, profissionais e membros da família troquem informações.

6)    Chuveiro com barras para apoiar as mãos – Barras de mão em todos os banheiros dos pacientes ajudam na mobilidade com maior segurança.

7)    Leito com alarme – Inserido na cama ou colocado sob o colchão, estes alarmes usam sensores que emitem um sinal para a enfermagem da unidade quando um paciente está tentando sair da cama.

8)    Unidade de desinfecção – Esses dispositivos utilizam luz ultravioleta para eliminar uma variedade de insetos e bactérias que causam infecções hospitalares comuns, como MRSA e C. difficile, que causa uma diarreia infecciosa.

9)    Listas de verificação – Mais hospitais estão usando listas. Trata-se de um conjunto de orientações para prevenir ou reduzir as infecções que podem surgir a partir de determinados procedimentos hospitalares, como a inserção de um cateter ou submeter o paciente à respiração por aparelhos.

10)  Ventilação no teto – Para evitar a contaminação entre pacientes, sistemas de ventilação avançados filtram o ar a partir dos quartos de pacientes com algum contágio, limpando o ar para o restante da unidade de internação.

11)  Bomba de infusão automática – A tecnologia fornece fluidos, nutrientes e medicamentos, tais como antibióticos e analgésicos, para uso em pacientes com drogas controladas com precisão. As unidades também disparam um alerta quando a dose programada difere da que normalmente é prescrita ou recomendada.

12)  Kits de prevenção de quedas – Aos pacientes com alto risco de queda são dadas meias antiderrapantes codificadas por cores, um cobertor e uma pulseira de alerta para os prestadores saberem que o paciente têm maior necessidade de ajuda com a mobilidade.

13)  Superfícies resistentes a germes – Micróbios causadores de doenças podem viver por meses em plástico ou aço inoxidável, aumentando o risco de infecção. Mas os estudos mostram que, quando entram em contato frequente com superfícies (incluindo trilhos do leito e torneiras) feitas com ligas de cobre, as taxas de infecção declinam. O cobre é um metal naturalmente antimicrobiano.

14)  Sensores de movimento – A tecnologia infravermelha embutida na torneira faz com que esta se ilumine quando cuidadores entram na sala, fornecendo um lembrete gentil para lavar as mãos. Alguns sensores de movimento, podem mesmo ativar o fluxo de água automaticamente.

15) Tecnologia de tradução – Os futuros leitos ajudarão os prestadores na comunicação com os pacientes que falam uma língua diferente. Os profissionais de saúde podem escolher entre uma variedade de questões e orientações, do “diga ahhh” até uma tradução para “Você está confortável?”.

16)  Sinais Vitais em tempo real – A leitura de frequência cardíaca, temperatura e pressão arterial são transmitidos para os computadores da enfermagem, longe do quarto do paciente. O computador dispara um alerta quando os sinais vitais têm alguma anormalidade.

VEJA TAMBÉM