Gestão e Qualidade | 14 de março de 2019

Comissões de Controle de Infecção Hospitalar devem fazer recadastramento

Procedimento deve ser feito por profissionais de saúde ou equipes responsáveis
Comissões e Controle de Infecção Hospitalar devem fazer recadastramento

Está aberto o processo de recadastramento das Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIHs) dos serviços de saúde públicos, privados, civis e militares de todo o país. Este ano, a Anvisa aproveitará o recadastramento para realizar uma avaliação nacional da implementação dos Programas de Prevenção e Controle de Infecção (PCIs) dos serviços de saúde brasileiros, utilizando uma ferramenta disponibilizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Esta ferramenta é utilizada por hospitais de todo o mundo e tem o objetivo de avaliar a estrutura para o desenvolvimento das ações para a prevenção e o controle das infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) e da resistência microbiana nos serviços de saúde. É importante destacar que essa avaliação não se destina à comparação entre as instituições, já que os serviços de saúde apresentam porte, foco clínico e cenário socioeconômico diferentes.

Como cadastrar?

O recadastramento deve ser preenchido por profissionais de saúde ou pelas equipes responsáveis pela organização e implementação das atividades do PCI no serviço de saúde, preferencialmente integrantes da CCIH. O formulário eletrônico para realização do procedimento está disponível aqui.

O formulário de recadastramento está estruturado conforme as recomendações das diretrizes da OMS sobre os componentes essenciais para os programas de prevenção e controle de infecção. Além disso, avalia o serviço de saúde em quatro níveis de promoção e práticas do PCI:

Inadequado (pontuação total de 0 a 200): a implementação dos componentes principais do PCI é deficiente. É necessária uma melhoria significativa.

Básico (pontuação total de 201 a 400): alguns aspectos dos componentes principais do PCI estão estabelecidos, mas não estão suficientemente implementados. Melhorias adicionais são necessárias.

Intermediário (pontuação total de 401 a 600): a maioria dos aspectos dos componentes principais do PCI estão adequadamente implementados. O estabelecimento deve continuar a melhorar o escopo e a qualidade da implementação e se concentrar no desenvolvimento de planos de longo prazo para manter e promover ainda mais as atuais atividades do PCI.

Avançado (pontuação total de 601 a 800): os componentes principais do PCI estão totalmente implementados, de acordo com as recomendações da OMS, e apropriados às necessidades da instalação.

Os resultados obtidos pela instituição podem ser utilizados para desenvolver um plano de ação, fortalecendo medidas existentes e motivando o serviço de saúde a intensificar os esforços, quando necessário.

Dados

A Anvisa informa que os dados obtidos em razão do recadastramento serão analisados de forma consolidada pela Agência e pelas Coordenações Estaduais/Distrital de Controle de Infecção Hospitalar (CECIHs). A instituição mantém o compromisso de que nunca serão publicadas individualmente informações como dados pessoais dos hospitais ou dos colaboradores que os preencheram.

Histórico

Desde 2010, a Anvisa disponibiliza um formulário para o cadastro de CCIHs de todo o país. Esse cadastro foi importante para que a Agência pudesse traçar um perfil mais fidedigno da organização das CCIHs do Brasil e para que fosse possível a consolidação de uma rede de comunicação entre os controladores de infecção brasileiros.

VEJA TAMBÉM

Laboratório Mont’Serrat é o primeiro da região Sul a oferecer teste que mede nível de imunidade contra o SARS-CoV-2

A confirmação de reinfecções pelo SARS-CoV-2 e uma mutação deste vírus já identificada no país vêm deixando a população alerta neste início de ano. Diante do grande número de pessoas que já contraíram o coronavírus (Covid-19), a possibilidade de confirmar o nível de imunidade contra a doença pode trazer um pouco mais de tranquilidade. Esse
qualidade e segurança do paciente

Hospitalar ATS conquista acreditação de nível máximo pela ONA 

A Hospitalar ATS, de Porto Alegre (RS), conquistou a acreditação de nível 3 (Excelência) da Organização Nacional de Acreditação (ONA). Fundada em 1997, a empresa atua oferecendo soluções para as necessidades dos pacientes fora do ambiente hospitalar, como serviços de home care. Entre os produtos oferecidos estão a Assistência Domiciliar Supervisionada, Internação Domiciliar, Procedimento Pontual
sequelas Covid

Hospital Mãe de Deus inaugura Serviço de Recuperação Pós-Covid

Após dez meses de pandemia, com mais de quatro mil pacientes atendidos e diagnosticados com Covid-19, tanto da capital quanto do interior do Estado, o Hospital Mãe de Deus está recebendo uma procura muito grande de pessoas que precisam de orientações para a continuação do tratamento após a doença. Para atender esta demanda, desde o dia 11 de janeiro começou a funcionar o Serviço de Recuperação Pós-Covid.