Gestão e Qualidade | 24 de março de 2020

Grupo Hospitalar Conceição adota novas regras sobre o uso de EPIs, refeitórios e realização de exames

Fiscalização das filas é uma das medidas adotadas
Grupo Hospitalar Conceição adota novas regras sobre o uso de EPIs, uso de refeitórios e realização de exames de endoscopia e espirometria

Considerando a atual situação de consumo e estoque de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), principalmente os de proteção respiratória (máscaras) em função do Covid-19, a Diretoria do Grupo Hospitalar Conceição, determinou às equipes medidas que visam racionalizar o uso dos EPIs, para que não ocorra desabastecimento no GHC.

1 É prioridade para a dispensação de máscaras a área assistencial, para tanto deverá ser observado:

O EPI deve ser utilizado conforme os protocolos institucionais;

O controle de dispensação das máscaras nas áreas assistenciais abertas (unidades de internação) fica sob responsabilidade do Enfermeiro da unidade, sendo este, responsável pela entrega dos EPIs apenas para a equipe de enfermagem. 

2 Demais profissionais, que circulem ou prestem assistência a pacientes nas áreas abertas e que seja indicado o uso de máscaras, deverão solicitar a sua chefia imediata para que providencie via Gerência o EPI, que, após autorização, deverá retirá-lo no almoxarifado;

3 Nas áreas fechadas e portas de emergência, a dispensação e controle de máscaras para a equipe assistencial (médicos, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem) será responsabilidade do Enfermeiro da unidade;

4 Demais profissionais que circulem ou prestem assistência a pacientes nas áreas fechadas ou portas de entrada, e que seja indicado o uso de máscaras, deverão solicitar ao seu gestor imediato para que solicite via Gerência o EPI, que, após autorização, deverá retirá-lo no almoxarifado;

5 A Gerência de Materiais, ao entregar as máscaras, deverá fazê-lo diretamente ao Enfermeiro da unidade/setor.

Refeitórios do GHC

A Diretoria do GHC também comunicou as novas regras de uso dos refeitórios das unidades da instituição, para, assim, evitar aglomerações, protegendo os colaboradores e aqueles que utilizam os refeitórios.

Abaixo seguem as regras que deverão ser cumpridas, a partir desta segunda-feira, 23 de março.

Refeitório do Hospital Conceição: Entrará em restrição de, no máximo, 90 pessoas por vez, com isso, as filas no horário de almoço passarão a ter controle de entrada.

Refeitório do Hospital Cristo Redentor: Entrará em restrição de, no máximo, 24 pessoas por vez, com isso, as filas no horário de almoço passarão a ter controle de entrada.

Refeitório do Hospital Fêmina: Entrará em restrição de, no máximo, 35 pessoas por vez, com isso, as filas no horário de almoço passarão a ter controle de entrada.

Regras para higienização: Todos devem realizar higienização das mãos ao entrar no refeitório.

Filas: Uma medida que será adotada é a fiscalização das filas, também evitando aglomerações. Devendo ficar o mais afastado uma pessoa da outra, respeitando as marcações do chão.

A instituição reforça que as medidas precisam ter a “compreensão e a colaboração de todos, neste momento atípico, para não prejudicar o bom andamento do hospital e evitar aglomerações de pessoas”, diz o comunicado.

Exames de Endoscopia e Espirometria

A realização de exames de ENDOSCOPIA e de ESPIROMETRIA no Grupo Hospitalar Conceição será restrita aos casos que necessitam de acompanhamento médico periódico, mediante avaliação pela equipe responsável.

VEJA TAMBÉM

Conheça 6 protocolos do Hospital São Lucas da PUC-RS para garantir atendimento seguro aos seus pacientes

O Portal Setor Saúde, em parceria com a Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do RS (FEHOSUL), lançou uma série especial de entrevistas com gestores das instituições de saúde, onde são destacadas as novas rotinas adotadas pelos hospitais durante a pandemia da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus). São abordadas também algumas consequências danosas associadas à pandemia, entre as
mercado

Fundos de investimento XP e IG4 Capital anunciam aquisições no setor hospitalar

Dois fundos, a XP Investimentos (XPI) e o IG4 Capital, anunciaram nos últimos dias investimentos pesados no setor hospitalar. Juntas, as aquisições feitas pelos fundos ultrapassam os R$ 400 milhões de reais. Os hospitais envolvidos foram o Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, em Belo Horizonte (MG), o Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, em Manaus (AM) e o Centro Brasileiro de Visão (CBV Hospital

Como o Hospital Tacchini vem atuando para garantir atendimento seguro a pacientes Covid e não Covid

A pandemia da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) fez com que diversas rotinas fossem alteradas em todo o mundo. Na área da saúde, uma das consequências notadas  foi a suspensão dos procedimentos eletivos – cirurgias, exames diagnósticos e consultas – com impactos relevantes para a sustentabilidade dos hospitais, mas também, para a saúde os pacientes. Segundo