Gestão e Qualidade | 1 de junho de 2020

Fundos de investimento XP e IG4 Capital anunciam aquisições no setor hospitalar

Hospitais envolvidos estão localizados nos estados de Minas Gerais, Amazonas e Distrito Federal
Fundos de investimento XP e IG4 Capital anunciam aquisições no setor hospitalar

Dois fundos, a XP Investimentos (XPI) e o IG4 Capital, anunciaram nos últimos dias investimentos pesados no setor hospitalar. Juntas, as aquisições feitas pelos fundos ultrapassam os R$ 400 milhões de reais. Os hospitais envolvidos foram o Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, em Belo Horizonte (MG), o Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, em Manaus (AM) e o Centro Brasileiro de Visão (CBV Hospital de Olhos), de Brasília (DF).

O mercado de saúde, em especial o setor hospitalar, vem sofrendo com o aumento de custos causados pela pandemia, assim como a diminuição do caixa em virtude da queda de atendimentos (cirurgias, exames e demais serviços). Por ser altamente fragmentado, já era esperado ver o setor hospitalar nacional entrar em uma nova onda de aquisições e fusões, antes mesmo do aparecimento da Covid-19. A pandemia e suas consequências – como a alta do dólar -, certamente impulsionarão ainda mais o interesse e a atenção de grandes fundos e redes de hospitais.

IG4 Capital (Opy Health)


Opy Health, braço de investimentos no setor de saúde da gestora de private equity, IG4 Capital, adquiriu a gestão de dois hospitais, sendo um em Belo Horizonte e outro em Manaus. Segundo o site da IG4 Capital, a Opy Health, lançada recentemente, tem o objetivo de aportar capacidade de investimento, expansão e eficiência operacional e tecnológica para hospitais públicos e privados.

O IG4 destaca que OPY Health faz parte da incursão do IG4 no setor de saúde, através da aquisição do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro em Belo Horizonte (MG), o qual recebeu mais de R$ 220 milhões em investimentos, além da aquisição do Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz em Manaus (AM), com mais de 370 leitos.

Mais hospitais estão sendo avaliados pelo fundo

A OPY Health está em negociações para adquirir outros seis hospitais brasileiros. Ao menos outros dois hospitais podem ser adquiridos até o fim do ano. O IG4 atua com foco na compra de ativos que apresentem dificuldades financeiras.

Receitas

Os dois hospitais juntos terão uma receita anual de 220 milhões de reais e margem Ebitda de cerca de 50%, segundo fontes consultadas pelo Money Times.

O modelo de investimento da OPY Health segue exemplos do Reino Unido e Canadá, onde empresas privadas são donas e administram hospitais que prestam serviços ao sistema público. A OPY será dona dos prédios dos hospitais, equipamentos médicos e fará todo o serviço administrativo do hospital, desde aquisição de medicamentos a serviços de segurança e lavanderia.

A parte médica continua com uma administração separada, liderada normalmente pelas equipes de cada hospital. No Reino Unido, as maiores empresas donas de infraestrutura hospitalar são listadas em bolsa, como a Primary Health Properties Plc. Este modelo de negócio consiste na gestão administrativa, infraestrutura, compra de insumos, manutenção, por exemplo.

É uma estratégia diferente de outros investidores estrangeiros no setor de saúde, como Carlyle e GIC, que investiram na Rede D’Or de hospitais que atendem mais a clientes de renda média e alta, que têm seguros privados de saúde.

Opy Novo Metropolitano (ONM Health) Belo Horizonte

O Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (HMDCC), em Belo Horizonte, tem 440 leitos. É uma Parceria Público Privada (PPP), anteriormente administrada pela empreiteira Andrade Gutierrez adquirido pelo fundo IG4 em 2018.

Segundo informações do IG4 Capital, a Opy Health iniciou o processo de imersão e mudança de marca criando a Opy Novo Metropolitano (ONM Health).  “Como um ativo da Opy Health, a ONM Health tem como principal objetivo consolidar os princípios de uma gestão eficiente, disponibilizando uma infraestrutura hospitalar de excelência para que a área assistencial do HMDCC concentre todos os seus esforços para garantir um melhor atendimento médico aos pacientes. Com a ONM Health queremos mostrar que é possível transformar a qualidade da saúde do Brasil, por meio de investimentos estratégicos e uma gestão operacional eficiente”, explica Otávio Silveira, CEO da Opy Health.

ONM Health

Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz (OZN Health) Manaus

O Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz é uma PPP entre o estado do Amazonas e a concessionária OZN Health. O Hospital teve a sua construção e equipagem finalizada em 2015 e, desde então, está em operação, atendendo exclusivamente pelo SUS.

A concessão, adquirida 100% pela OPY Health, tem prazo de 20 anos (até 2033), podendo ser estendida por mais 15 anos. A parceria prevê que o estado preste os serviços assistenciais e a Opy Health se responsabilize por todo o investimento necessário e todos os demais serviços não médicos. O hospital é o maior da região norte do país e considerado uma referência pela qualidade de suas instalações e equipamentos.

OZN Health

XP Investimentos 


O fundo de private equity gerido pela plataforma digital de investimentos XP Inc. adquiriu o controle no Centro Brasileiro de Visão (CBV Hospital de Olhos), de Brasília, por R$ 200 milhões, conforme informações da XP anunciadas na segunda-feira (01/06). Fundado em 2004, pelo Dr. Marcos Ávila, o hospital possui padrão internacional de qualidade e registrou uma receita de quase R$ 80 milhões no ano passado, realizando 100 mil consultas e 7 mil cirurgias.

Consultada pelo portal Setor Saúde, a XP destaca que a aquisição é a primeira feita pelo fundo da XP, apenas três meses após a captação de R$ 1,3 bilhão, em oferta inovadora atraindo mais de 5 mil investidores pessoas físicas.

O fundo de investimento informou ainda que conclusão do negócio, em meio à mais grave crise dos últimos 100 anos, demonstra a absoluta confiança no horizonte de médio e longo prazo do país. De acordo com Chu Kong, head do fundo de Private Equity da XP, o setor de saúde apresenta perspectivas muito atrativas, além de ser um mercado bastante resiliente  em momentos de crise. “A aquisição do CBV é o primeiro passo para a criação de um projeto nacional de consolidação deste segmento, por ser um mercado de grande escala, fragmentado e de alto crescimento. Estima-se que o mercado seja de R$ 8 bilhões e existam mais de 5 mil clínicas em todo o Brasil”, diz.

“A parceria com o Fundo reforça a crença no mercado de oftalmologia e permite sonhar com a criação de um projeto nacional calcado na excelência médica, qualidade de atendimento e sustentabilidade. Acredito que esta união de forças seja apenas o início de outras parcerias com médicos em todo o Brasil”, afirma o Dr. Marcos Ávila que, em mais de 30 anos de atuação em oftalmologia, tornou-se internacionalmente conhecido por seu trabalho acadêmico, social e como educador. O médico foi ainda presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), e mantém-se ativo como membro da Academia Americana de Oftalmologia (AAO) e professor titular de Oftalmologia na Universidade de Goiás.

Para comandar a operação, como executivo e sócio, o CBV convidou Rafael Mendes, ex-sócio dos fundos de Private Equity Victoria Capital Partners e Principia Capital Partners, nos quais foi um dos responsáveis pelo principal projeto de consolidação no setor de Oncologia no país, atuando como CEO e liderando diversas aquisições pela companhia. “É com enorme entusiasmo que aceito o desafio e responsabilidade de participar da criação de uma plataforma única no setor de oftalmologia no Brasil, unindo excelência médica e gestão. Tenho a certeza de que conseguiremos criar uma companhia admirada, gerando impacto extremamente positivo no setor, expandindo o acesso à saúde ocular de qualidade e criando diversas oportunidades para médicos e colaboradores”, declara.

CBV

Mercado aquecido

Notre Dame Intermédica informou no dia 21 de maio que sua unidade Clinipam acertou a compra do Hospital do Coração de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, pelo valor de 65,7 milhões de reais. Segundo informações do site do Hospital do Coração, a instituição possui uma estrutura alta complexidade, com 3,6 mil m² de área construída e uma equipe multidisciplinar que ultrapassa 300 funcionários. Leia aqui.

 

Com informações XP, IG4 e OPY Health. Edição Setor Saúde.

VEJA TAMBÉM

Hospital de campanha junto ao Hospital Dom João Becker completa um mês de funcionamento em Gravataí

O hospital de campanha montado junto ao Hospital Dom João Becker  completa seu primeiro mês de funcionamento na sexta-feira (10). O local de aproximadamente 400 metros quatros é referência para todos os pacientes com sintomas gripais e respiratórios no município de Gravataí, na Grande Porto Alegre. Segundo a instituição hospitalar, mais de 1,5 mil pessoas já foram atendidas e cerca de 80 foram internadas. A estrutura temporária conta com central de triagem, quatro consultórios, sala de medicação,

Jorge Bajerski fala sobre ensinamentos e o papel do Hospital de Clínicas de Porto Alegre na pandemia

O  Hospital de Cínicas de Porto Alegre (HCPA) é uma das instituições de referência para tratamento da Covid-19 no Rio Grande do Sul. Para abordar como a instituição está agindo para enfrentar o coronavírus, a Faculdade de Tecnologia em Saúde (Fasaúde/IAHCS) promoveu a Live O Hospital de Clínicas de Porto Alegre e a Covid-19, com

Santa Casa de Porto Alegre lança primeira ferramenta do mundo que detecta prescrições fora do padrão

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, por meio de seu Centro de Inovação, em parceria com a NoHarm.ai, desenvolveu dois algoritmos de automação para triagem farmacêutica. As duas inteligências trabalham em conjunto. Enquanto a primeira prioriza as prescrições mais críticas, a segundo indica potenciais erros da prescrição, levando em consideração os resultados dos exames do paciente, o