Mundo | 12 de fevereiro de 2019

EUA: Johnson & Johnson anunciará preço dos medicamentos em seus comerciais de TV

Ministro de Saúde dos EUA elogia iniciativa e pede que outras indústrias façam o mesmo
EUA Johnson & Johnson anunciará preço dos medicamentos em seus comerciais de TV

A Johnson & Johnson (J&J) anunciou que começará a divulgar o preço de tabela de seus medicamentos nos anúncios de televisão. Esta é a primeira vez que uma empresa farmacêutica decide tomar esta atitude nos EUA. A gigante de produtos e serviços para a saúde começará com seu popular anticoagulante, Xarelto (rivaroxabana), de acordo com Scott White, diretor de marketing farmacêutico da J&J para a América do Norte.

No final de março, os comerciais de TV fornecerão o preço de tabela – ou “preço de lista” – do produto (o preço antes de qualquer reembolso ou desconto para seguradoras ou administradores de benefícios de farmácia), assim como os possíveis custos diretos que os pacientes pagarão. As informações aparecerão no final do comercial e incluirão um site onde as pessoas podem inserir informações dos seus seguros para obter custos mais específicos.

Johnson & Johnson Xarelto

Sem seguro, o Xarelto custa de 450 a 540 dólares por mês, dependendo da farmácia. Cerca de 1 milhão de prescrições de Xarelto são emitidas nos EUA a cada mês.

Em nota oficial da J&J, assinada por White, a empresa diz que “a transparência é fundamental para alcançar um sistema de saúde mais sustentável e baseado em resultados que ofereçam maior acesso aos cuidados a um custo mais gerenciável”.

Pedido de Donald Trump

A decisão da Johnson & Johnson ocorre em meio ao crescente debate sobre o aumento dos preços de medicamentos – e segue uma proposta de campanha da administração de Donald Trump; dar maior transparência ao mercado da saúde e aos seus custos.

No documento intitulado American Patients First The Trump: Administration Blueprint to Lower Drug Prices and Reduce Out-of-Pocket Costs lançado em maio de 2018, o presidente norte-americano disse: “Uma das minhas maiores prioridades é reduzir o preço dos medicamentos prescritos. Em muitos outros países, esses medicamentos custam muito menos do que pagamos nos EUA. É por isso que eu tenho conduzido minha administração para corrigir a injustiça dos preços elevados, uma das nossas principais prioridades. Os preços vão cair”, prometeu Trump.

Alex Azar com Donald Trump

Alex Azar com Donald Trump

xxx

Ao canal de notícias Reuter, Alex Azar, secretário do Department of Health and Human Services (equivalente ao ministro da Saúde no Brasil) elogiou a decisão da empresa. “Parabenizamos a Johnson & Johnson por reconhecer o valor de informar consumidores em relação aos preços de tabela e fazê-lo de forma voluntaria. Pedimos a outros fabricantes que sigam o exemplo. ”

De modo geral, a indústria farmacêutica se opõe a divulgar os valores dos medicamentos. Representantes dizem que diferentes negociações podem diminuir o valor dos mesmos de forma considerável, ou seja, poucas pessoas pagariam os altos preços de tabela na prática.

Bayer e J&J

A Bayer detém os direitos de comercialização do medicamento fora dos Estados Unidos (como no Brasil), enquanto a J&J é responsável pela venda do Xarelto no mercado dos EUA. O medicamento recebeu recentemente a autorização da agência reguladora de medicamentos dos EUA (FDA) para uso em pacientes com aterosclerose – acúmulo de placas de colesterol nas paredes das artérias.

 

Com informações da CNBC, Reuters e J&J (EUA). Edição do Setor Saúde.

 

VEJA TAMBÉM

Estudo indica contaminação dos cilindros de oxigênio por superbactérias em ambulâncias

Os cilindros de oxigênio de ambulância provavelmente carregam a bactéria resistente a antibiótico Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA, na sigla em inglês). É o que sugere um estudo realizado nos Estados Unidos, apontando para a necessidade de desinfecção regular destes equipamentos médicos. Pesquisadores testaram cilindros de oxigênio transportados em ambulâncias do serviço de socorro médico norte-americano (Emergency Medical
INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

GSK e a Pfizer anunciam joint venture na área produtos “sem prescrição”

As gigantes da indústria farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) e a Pfizer estão unindo suas divisões de produtos “sem prescrição” ou produtos de consumo – conhecidos como Consumer Healthcare -, como analgésicos e vitaminas, com vendas combinadas de cerca de 12,7 bilhões de dólares. A empresa britânica GSK terá 68% da joint venture, que reunirá marcas como Sensodyne, Voltaren

Estados Unidos aprovam novo antibiótico para a diarreia do viajante

A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), aprovou o novo antibiótico Aemcolo (do grupo de antibióticos rifamicina, produzida pela Cosmo Technologies), para tratar adultos com diarreia dos viajantes causada por cepas não invasivas da bactéria Escherichia coli (E. coli), e não complicadas por febre ou sangue nas fezes. Este é o primeiro