Mundo | 23 de novembro de 2018

Estados Unidos aprovam novo antibiótico para a diarreia do viajante

Este é o primeiro antibiótico aprovado em mais de uma década para este tipo de problema 
Estados Unidos aprovam novo antibiótico para a diarreia do viajante

A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), aprovou o novo antibiótico Aemcolo (do grupo de antibióticos rifamicina, produzida pela Cosmo Technologies), para tratar adultos com diarreia dos viajantes causada por cepas não invasivas da bactéria Escherichia coli (E. coli), e não complicadas por febre ou sangue nas fezes. Este é o primeiro antibiótico aprovado em mais de uma década para este tipo de problema, comum entre turistas. Segundo a British Medical Journal (BMJ Best Practice), ocorre em 20% a 50% das pessoas que viajam para um país menos desenvolvido, em decorrência da contaminação de água ou alimentos, geralmente dentro das duas primeiras semanas de exposição.

“A diarreia dos viajantes afeta milhões de pessoas a cada ano, e ter opções de tratamento para essa condição pode ajudar a reduzir os sintomas da doença”, disse o diretor do Escritório de Produtos Antimicrobianos do Centro de Avaliação e Pesquisa de Drogas da FDA, Edward Cox.

A diarreia dos viajantes é definida pela ocorrência de três ou mais fezes não formadas em 24 horas em uma pessoa que está viajando. A diarreia do viajante ocorre quando as pessoas são expostas a bactérias (ou vírus e parasitas) contra os quais não desenvolveram imunidade porque nunca tiveram contato com eles. Geralmente ocorre em países em desenvolvimento (os destinos de maior risco são a maior parte da Ásia, Oriente Médio, África, México e Américas Central e do Sul), em que o tratamento da água é deficiente, sendo a bactéria Escherichia coli (E. coli) o organismo que mais tem mais probabilidade de causar a diarreia do viajante.

De acordo com a FDA, a eficácia do Aemcolo foi demonstrada em um estudo clínico randomizado com esta droga e placebo, realizada em 264 adultos que apresentaram diarreia do viajante, no México e na Guatemala. Verificou-se que os sintomas dos participantes que tomaram Aemcolo foram reduzidos, em comparação com aqueles que tomaram placebo.

A segurança do Aemcolo, administrada por via oral durante 3 ou 4 dias, foi avaliada em 619 adultos com diarreia dos viajantes em dois ensaios clínicos controlados. As reações adversas mais comuns foram dores de cabeça e constipação. A FDA ressaltou também que a droga não demosntrou eficácia em pacientes com diarreia complicada por fezes, para pacientes com fezes com sangue, ou diarreia devido a outros fatores.

O Aemcolo é contraindicado em doentes com hipersensibilidade conhecida à rifamicina ou a qualquer um dos componentes do Aemcolo, bem como a qualquer outro agente antimicrobiano da classe da rifamicina, como a rifaximina.

O Aemcolo estará disponível em farmácias no primeiro trimestre de 2019. “Dada a gravidade potencial da diarreia dos viajantes e a crescente resistência aos antibióticos que têm sido amplamente utilizados desde o início dos anos 90, é importante ter uma nova opção para o tratamento”, disse Herbert Dupont, professor de doenças infecciosas da Escola de Saúde Pública da Universidade do Texas, em Houston, que trabalhou nos estudos da Aemcolo.

Ainda não há previsão de o medicamento chegar ao Brasil.

 

Com informações do Medscape (EUA) e BMJ Best Practice. Edição do Setor Saúde.

VEJA TAMBÉM

transparência

EUA: Johnson & Johnson anunciará preço dos medicamentos em seus comerciais de TV

A Johnson & Johnson (J&J) anunciou que começará a divulgar o preço de tabela de seus medicamentos nos anúncios de televisão. Esta é a primeira vez que uma empresa farmacêutica decide tomar esta atitude nos EUA. A gigante de produtos e serviços para a saúde começará com seu popular anticoagulante, Xarelto (rivaroxabana), de acordo com

Estudo indica contaminação dos cilindros de oxigênio por superbactérias em ambulâncias

Os cilindros de oxigênio de ambulância provavelmente carregam a bactéria resistente a antibiótico Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA, na sigla em inglês). É o que sugere um estudo realizado nos Estados Unidos, apontando para a necessidade de desinfecção regular destes equipamentos médicos. Pesquisadores testaram cilindros de oxigênio transportados em ambulâncias do serviço de socorro médico norte-americano (Emergency Medical
INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

GSK e a Pfizer anunciam joint venture na área produtos “sem prescrição”

As gigantes da indústria farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) e a Pfizer estão unindo suas divisões de produtos “sem prescrição” ou produtos de consumo – conhecidos como Consumer Healthcare -, como analgésicos e vitaminas, com vendas combinadas de cerca de 12,7 bilhões de dólares. A empresa britânica GSK terá 68% da joint venture, que reunirá marcas como Sensodyne, Voltaren