Empregabilidade e Aperfeiçoamento, Gestão e Qualidade | 24 de novembro de 2021

Diretores da Johns Hopkins visitam Hospital Moinhos de Vento para ampliar parceria em educação e pesquisa

Agenda técnica visa desenvolvimento de novos produtos de qualificação profissional no primeiro hospital afiliado no Brasil
Diretores da Johns Hopkins visitam Hospital Moinhos de Vento para ampliar parceria em educação e pesquisa

O presidente da Johns Hopkins Medicine International, Dr. Charles Wiener, o vice-presidente para Iniciativas Globais, Dr. Laurent Moreau, e o diretor médico internacional, Dr. Daniele Rigamonti, participaram de uma visita técnica ao Hospital Moinhos de Vento nesta terça (16) e quarta-feira (17). Desde 2013 a instituição é afiliada à Johns Hopkins Medicine International, braço internacional da líder em educação médica nos Estados Unidos há mais de 125 anos.

Nesta visita, o objetivo foi conhecer a Faculdade de Ciências da Saúde, apresentar modelos de atendimento, ensino e saúde utilizados pela Johns Hopkins e explorar como ampliar  a relação. Em pauta, temas como estratégias de educação, indicadores de qualidade, acesso da população a serviços de saúde e como o setor vem se adaptando após a pandemia.

O superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, destacou o sucesso da cooperação entre as instituições, que agora entra numa nova fase, com a expansão da colaboração. “Planejamos aprofundar nossa relação com a Johns Hopkins e ampliar o escopo para o Instituto de Pesquisa Clínica e em projetos de educação, que envolvem desde a graduação até os programas de mestrado e doutorado. Estamos explorando como criar novos produtos de educação para brasileiros que queiram se qualificar com as abordagens e o alto nível das duas instituições”, explicou.

O Dr. Wiener elogiou a resiliência e o compromisso contínuo com a excelência no atendimento da equipe do Hospital Moinhos de Vento, especialmente durante a pandemia. “Mesmo antes da pandemia, a medicina está em constante evolução. Neste contexto dinâmico, as instituições de saúde precisam treinar e retreinar profissionais. Isso envolve educação médica, humanismo, profissionalismo, entender como o atendimento multidisciplinar é o futuro para evoluirmos. A saúde está em um ponto crucial, tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, e é interessante como compartilhamos desafios muito semelhantes. Portanto, todos precisamos pensar sobre como podemos treinar a próxima geração de profissionais médicos para atender às necessidades do futuro”, afirmou.

Johns Hopkins Medicine moinhos

Mohamed acrescentou que as novas tecnologias e inovações disponíveis estão tornando o mundo híbrido — online e offline, virtual e presencial — e sem fronteiras. “Cada vez mais vamos conectar experiências internacionais com práticas nacionais e regionais, oferecendo o que existe de melhor no planeta e pensando em formar profissionais do futuro, aptos para as necessidades que teremos daqui a cinco, 10 anos”, concluiu o superintendente.

Cooperação e qualificação

Para o superintendente médico do Hospital Moinhos de Vento, Luiz Antonio Nasi, a cooperação permite trocar experiências e adaptá-las ao contexto do Brasil. “A nossa instituição já oferece o que existe de melhor em medicina e assistência no mundo, alinhado ao que é feito nos principais centros de referência. E qualificamos cada vez mais o nosso ensino, a nossa pesquisa e o nosso atendimento graças a essa relação contínua com um dos melhores nos Estados Unidos e no mundo”, afirmou.

De acordo com a superintendente Assistencial e de Educação, Vania Röhsig, a instituição preza por uma formação que visa a prática baseada em evidências científicas, sem abrir mão do cuidado humanizado e integral ao paciente. “O que concluímos com essa agenda é que nosso modelo está muito acima da média no Brasil e de acordo com o que se faz nas melhores escolas do mundo. Nossos acadêmicos já começam o curso dentro de um hospital de excelência, aprendendo na prática, atuando diretamente com os pacientes. Agora como evoluir mais? Elevar ainda mais essa régua?”, ponderou.

Crescimento

A Faculdade de Ciências da Saúde é uma das prioridades do Hospital Moinhos de Vento e cresceu muito em procura e número de alunos durante a pandemia. A gerente de Educação do Hospital Moinhos de Vento e diretora da Faculdade de Ciências da Saúde, Susane Garrido, salienta que, no primeiro semestre de 2021, o número de matrículas foi 130% maior do que no segundo semestre do ano passado. “Temos ainda espaço e mercado para crescer. Além disso, muitas práticas e estratégias utilizadas pela Johns Hopkins podem ser aproveitadas para qualificar o ensino dos alunos daqui. Isso é um atrativo para estudantes e profissionais de alto nível”, avalia.

Também acompanharam a comitiva a diretora de serviços globais da Johns Hopkins, Patricia Skillin, e a associada sênior, Luiza Jovetic. Pelo Hospital Moinhos de Vento, participaram da agenda os superintendentes, lideranças médicas, chefes de serviço e pesquisadores da instituição.

Fotos: Leonardo Lenskij. Com informações Hospital Moinhos. Edição SS.

 



VEJA TAMBÉM

Hospitais Tacchini e Sírio-Libanês iniciam parceria em residências médica e multiprofissional

Os hospitais Tacchini, de Bento Gonçalves (RS), e Sírio-Libanês, de São Paulo (SP), iniciam em novembro a parceria na formação dos 40 preceptores que vão comandar as residência médica e multiprofissional da instituição gaúcha. O primeiro dos cinco encontros programados será presencial e ocorrerá entre os dias 25 e 27 de novembro, no Campus Universitário da
PROADI-SUS

Hospital Moinhos promove ação para diagnóstico de sífilis neste final de semana

Com o propósito de identificar os principais fatores associados ao aumento de casos da sífilis, o Hospital Moinhos de Vento realiza nova ação do Projeto SIM, nos dias 27 e 28 de novembro, na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre (RS). A unidade móvel onde serão realizados exames gratuitos para o diagnóstico de sífilis, HIV
cuidado integral

Atletas virtuais do bem: Dasa lança campanha gamificada no Novembro Azul

A gamificação vem se popularizando nas empresas. O setor de Recursos Humanos registrou, em 2020, a maior taxa de crescimento no mercado de gamificação, com aumento de 27,8% (Prescient & Strategic Intelligence, 2020). A Dasa vem utilizando essa estratégia para incentivar, de forma divertida e dinâmica, seus colaboradores quanto ao autocuidado e o cuidado com o próximo. Como parte do programa Dasa Cuida, o Desafio +30 foi lançado para conscientizar os colaboradores sobre a prevenção ao câncer de próstata. Na ação, que