Mundo | 11 de julho de 2014

Criança que havia sido curada da AIDS volta a apresentar sinais do vírus

Retrocesso no caso do “Bebê de Mississipi” decepciona pesquisadores
Criança que havia sido curada da AIDS volta a apresentar sinais do vírus

O Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA anunciou, no dia 10 de julho, que o chamado “Bebê de Mississipi”, que havia sido “curado ” do HIV, voltou a apresentar sinais da doença.

Nascida prematura, em 2010, a criança tinha a mãe infectada pelo HIV. Logo com 30 horas de vida, começou a ser tratada com antirretrovirais. Durante um ano e meio apresentou grande evolução e viveu mais de dois anos, sem utilizar medicamentos, e sem que seus exames de sangue apontassem níveis do vírus.

Em fevereiro, investigadores da Universidade de Johns Hopkins (EUA) chegaram a anunciar a cura do primeiro recém-nascido com HIV. Porém, agora , o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, Anthony Fauci, vem a público lamentar  o retrocesso no tratamento. “Certamente esta é uma reviravolta decepcionante para esta criança, para a equipe médica envolvida no seu cuidado e para a comunidade de pesquisa de HIV/AIDS”.

Com a desagradável notícia, o único caso reconhecido de cura total da AIDS ainda é a do americano Timothy Brown, que foi declarado livre da doença após realizar um transplante de medula óssea (devido à leucemia) de um doador que apresentava uma mutação genética rara que impede o vírus de penetrar nas células.

VEJA TAMBÉM