Gestão e Qualidade, Mundo | 23 de julho de 2019

As cores e a iluminação dentro dos hospitais têm influência na recuperação dos pacientes?

Pesquisa realizada em hospital da Alemanha aponta resultados surpreendentes  
As cores e a iluminação dentro dos hospitais têm influência na recuperação dos pacientes_pastel

A experiência e a melhor recuperação de um paciente em um hospital é um tema que mobiliza todo o segmento da saúde. As instituições, seja por meio de seus gestores, médicos, enfermeiros ou demais profissionais, têm como foco prioritário o bom atendimento e a recuperação dos pacientes. Além das tradicionais estratégias adotadas, as cores das paredes dos hospitais podem ser aliadas para alcançar esse objetivo. É o que aponta uma pesquisa do Hospital Universitário Helios, da cidade de Wuppertal, na Alemanha.

O professor de neuropsicologia e design da Universidade de Wuppertal, Axel Buether, e a médica intensivista do Hospital Universitário Helios, Gabriele Wöbker, foram responsáveis por descobertas surpreendentes. Ao realizarem a troca da cor das paredes do hospital em que trabalham, identificaram, por exemplo, a diminuição do uso de medicamentos pelos pacientes e a melhora da percepção de segurança e conforto.

Cores pastéis e terrosas

O resultado do estudo, que ocorreu de 2017 a 2018, após trabalhos de renovação no Hospital Universitário Helios, indica que ocorreu um efeito positivo sobre todos os envolvidos. Durante o trabalho de renovação, paredes, tetos e portas foram repintadas. Foram utilizados diferentes tons de cores pastéis e terrosas nas paredes. A iluminação também foi trocada.

Antes das reformas, foram realizadas pesquisas quantitativas e qualitativas, por meio de questionários aos pacientes. Indicadores assistenciais também foram analisados, antes e após as adequações.

Axel Buether e Gabriele Wöbker

Axel Buether e Gabriele Wöbker

xxx


“Algo acontece no nosso corpo quando vemos cores. Elas podem alterar diretamente nossa respiração e nossos níveis de açúcar no sangue. Por exemplo, quando você vê a foto uma comida com uma cor saborosa no cardápio, fica com vontade de comê-la, mesmo que não esteja com fome. Isso acontece porque nosso nível de açúcar no sangue baixa, e de repente temos apetite, embora estejam saciados”, disse Axel Buether, em entrevista divulgada no canal DW.


Avaliação positiva dos serviços aumentou, inclusive para os funcionários 

A avaliação positiva dos serviços de enfermagem aumentou em quase 30% entre os pacientes após a reforma. “Além disso, os pacientes se sentiram muito mais confortáveis na enfermaria após o trabalho de renovação. Em particular, sentimentos como a segurança e o conforto são fatores decisivos para a recuperação dos pacientes. Aqui conseguimos um aumento de mais de 55% após a reforma”, explica a médica Wöbker.

Assim, os resultados do estudo mostram que os fatores luz e cor têm um efeito particularmente positivo no bem-estar e no estado de saúde dos pacientes em uma unidade de terapia intensiva. Ao mesmo tempo, eles também ajudaram a melhorar a confiança e a satisfação dos parentes. A pesquisa também apontou que as cores e iluminação são importantes para gerar mais motivação no trabalho da equipe. A satisfação dos colaboradores alcançou um aumento de 14% após as mudanças.

Delírios (delirium) e diminuição no uso de medicamentos 

O enfermeiro Tilman König, do Hospital Helios, atesta a melhoria entre os pacientes. Ele aponta a diminuição de delírios (ou delirium), condição comum entre os pacientes internados em unidades hospitalares. “Desde a implantação das cores, tivemos um impacto positivo nos pacientes. Pode-se dizer que eles têm menos delírios, estão mais orientados e também se sentem melhor”, disse o enfermeiro.


A médica Wöbker ainda aponta que, após a pintura e troca de iluminação, foi verificada a diminuição de uso de medicamentos. “O mais surpreendente para mim foi o efeito no uso de medicamentos, que caiu quase 30% em média em todas as estações testadas”, frisa.


Os resultados apontam que há eficácia da cor e da luz no bem-estar e satisfação sobre todos os envolvidos. Conforme Buether, “o estudo foi um sucesso completo para nós. De acordo com os resultados, os fatores cor e luz têm uma influência muito grande sobre as pessoas e sua saúde. Para nós, os resultados são um sinal claro de que muito pode ser alcançado com poucos recursos. Em Wuppertal, vamos nos ater ao projeto e expandi-lo sucessivamente”, finaliza o professor de neuropsicologia e design da Universidade de Wuppertal.

Os seres humanos têm um total de cinco sentidos, mas cerca de 80% das nossas impressões sensoriais são percebidas através de nossos olhos. Assim, torna-se compreensível porque as cores e a luz podem influenciar nosso pensamento, sentimento e ação.

As cores e a iluminação dentro dos hospitais têm influência na recuperação dos pacientes

Foram utilizadas diferentes tons de cores pastéis e terrosas nas paredes

 

Com informações do site Innovation Origins e canal DW. Edição do Setor Saúde.

VEJA TAMBÉM

Com doação de R$ 4,5 milhões, Santa Casa de Porto Alegre inaugura Instituto Materno-Fetal Celso Rigo

Entrou em funcionamento no dia 13 a primeira etapa do Instituto Materno-Fetal Celso Rigo da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Conforme a instituição, trata-se da mais completa estrutura da América Latina localizada em um único centro, voltada para o atendimento de todos os tipos de patologias materno-fetais para pacientes usuários do SUS, de convênios e particulares.

GHC lança portal de transparência com dados e informações sobre as ações de enfrentamento ao Covid

O Grupo Hospitalar Conceição (GHC) lançou o Portal Covid-19, onde estão centralizadas as informações relacionadas ao enfrentamento da pandemia de Covid-19 na instituição, como aquisições e contratações, materiais e medicamentos utilizados, relatórios de ações, doações recebidas, cursos, estudos e notícias. Conforme o GHC, num esforço conjunto das gerências de Informática, de Governança, Riscos e Conformidade, de Materiais

Covid-19: Fabricante diz que Remdesivir reduz a mortalidade em 62%, mas falta de aprofundamento ainda gera dúvidas

O remdesivir reduziu o risco de mortalidade de pacientes com Covid-19 em 62% em comparação com o tratamento padrão, de acordo com uma nova análise dos testes divulgados pela Gilead Sciences Inc., fabricante do medicamento. A nova análise comparou os dados dos estudos em estágio avançado com o tratamento na vida real. A Gilead apresentará as descobertas na Conferência Virtual