Empregabilidade e Aperfeiçoamento | 25 de outubro de 2018

Segurança do paciente é prioridade na assistência farmacêutica

Na 4ª Jornada de Farmácia Hospitalar promovido pelo SINDIHOSPA, profissionais discutiram as melhores práticas para a área
Segurança do paciente é prioridade na assistência farmacêutica

Na sexta-feira (19), o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA) promoveu a 4ª Jornada de Farmácia Hospitalar. Idealizado pelo Comitê de Farmácia da instituição, o evento contou com palestrantes nacionais para discutir temas de interesse e trocar experiências com os profissionais da área.

O presidente do SINDIHOSPA, Henri Siegert Chazan, abriu a programação agradecendo os organizadores e reforçando os princípios do sindicato. “Tenho orgulho de ver os eventos realizados pelo sindicato. Aliás, o SINDIHOSPA se tornou um centro de encontros e estudos. Me orgulha ver o nosso empenho em melhorar a área da saúde como um todo”, comentou.

Presidente do SINDIHOSPA, Henri Chazan

Presidente do SINDIHOSPA, Henri Chazan

Logo após, Suhélen Caon, integrante do Comitê de Farmácia, falou sobre o esforço do grupo nesses cinco anos de realizações. “Termos um público como este, com 180 profissionais, é uma entrega intangível para nós que participamos da organização e esperamos a união da área para construir melhorias em conjunto”, afirma.

O evento trouxe para debate as melhores práticas na assistência farmacêutica. A gerente de gestão de risco do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, Vera Borrasca, falou sobre segurança do paciente e investigação de eventos. “Os erros podem e vão acontecer, mas precisamos construir uma cultura de organização que conheça os possíveis danos e saiba prevenir e proteger os pacientes dos seus riscos”, explica.

A enfermeira disse, a partir de dados apresentados, que erros e falhas em medicação são um dos dez eventos mais frequentes dentro de hospitais. “Precisamos treinar e educar a equipe para medir os indicadores de risco. Para trabalharmos com segurança precisamos identificar a todo o tempo os contratempos e promover melhorias antes dos malefícios”, completa.

Vera Borrasca falou sobre segurança do paciente e investigação de eventos

Vera Borrasca falou sobre segurança do paciente e investigação de eventos

Representantes do Comitê, Gabrielli Guglielmi, Thalita Jacoby e Priscila de Oliveira falaram sobre suas experiências em diferentes portes de organizações de saúde. Gabrielli relembrou a história da farmácia clínica, e juntas discutiram práticas modelos em suas instituições de atuação. “Não existe regra geral sobre a melhor prática para o farmacêutico, por isso é importante ressaltar que o que deve ser realizado é de acordo com o protocolo de cada hospital, e sempre com trocas entre a equipe”, diz.

O consultor comportamental Wagner Galletti Valença, da WGValença, de São Paulo, falou sobre comunicação assertiva, as atitudes e os resultados para negociação de conflitos, e destacou que devemos tratar as pessoas como elas gostam de ser tratadas e que muitos conflitos ocorrem pela comunicação ineficaz.

A edição da jornada também discutiu temas como a gestão da logística intra-hospitalar e a segurança de pacientes, as experiências e os desafios do profissional, a segurança e praticidade no manuseio de medicamentos, as inovações em bloco cirúrgico, a dispensação de medicamentos urgentes e comunicação assertiva: atitudes e resultados para negociações e conflitos.

VEJA TAMBÉM