Mundo | 20 de dezembro de 2018

GSK e a Pfizer anunciam joint venture na área produtos “sem prescrição”

A empresa britânica GSK terá 68% da joint venture
GSK e a Pfizer anunciam joint venture na área produtos sem prescrição

As gigantes da indústria farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) e a Pfizer estão unindo suas divisões de produtos “sem prescrição” ou produtos de consumo – conhecidos como Consumer Healthcare -, como analgésicos e vitaminas, com vendas combinadas de cerca de 12,7 bilhões de dólares.

A empresa britânica GSK terá 68% da joint venture, que reunirá marcas como Sensodyne, Voltaren e Panadol, e trabalhará em conjunto com a Pfizer, que incluirá produtos como Advil e Centrum. A norte-americana Pfizer será a dona dos 32% restantes.

Espera-se que a conclusão desta junção leve ao menos três anos para que todos os negócios, em quase 100 países de atuação, sejam alinhados. É necessário ainda esperar um período para as incertezas que cercam a saída da Grã-Bretanha da União Europeia diminuam. “Estou confiante de que estaremos [no futuro] em um ambiente mais estável do que estamos hoje”, disse a CEO Emma Walmsley, da GSK.

Walmsley disse que o acordo apresenta um caminho para a GSK se tornar uma empresa global de produtos farmacêuticos e vacinas focada em tecnologias avançadas. “Em última análise, nosso objetivo é criar duas empresas globais excepcionais baseadas no Reino Unido com estruturas de capital certas, ambas bem posicionadas para oferecer melhores retornos aos acionistas e benefícios significativos para pacientes e consumidores em todo o mundo”, disse ela. As ações da GSK subiram 6% logo após a divulgação das notícias.

A Pfizer, sediada em Nova York (EUA), já havia anunciado que estava separando seus negócios de Consumer Healthcare de outros dois segmentos como parte de uma reorganização anunciada em julho passado.

O CEO da Pfizer, Ian Read, havia dito em julho deste ano que a reorganização representava uma “evolução natural” para a Pfizer, dada a força dos produtos que estão vendendo atualmente e as drogas que estão em fase final de desenvolvimento clínico. A Pfizer espera obter aprovação regulatória de pelo menos 12 novos medicamentos desde o começo deste ano até 2022. A empresa disse que a reorganização ocorrerá em 2019, que também é quando o diretor de operações Albert Bourla se tornará CEO, substituindo Read.

Leia a nota (em inglês) da GSK.

Leia a nota (em inglês) da Pfizer.

Pfizer Consumer Healthcare anuncia Camilo Tedde para América Central, México, Colômbia e Brasil

A Pfizer Consumer Healthcare anunciou nesta semana, Camilo Tedde como líder da área Consumer Healthcare. O profissional assume com o objetivo de fortalecer a presença da divisão do Grupo Pfizer na América Central, México, Colômbia e Brasil. Com mais de 25 anos de experiência, o executivo reúne passagens pela PepsiCo, Wyeth, Red Bull, Reckitt Benckiser e Newell Rubbermaid. Mais recentemente, Camilo Tedde atuava como gerente geral da Pfizer Consumer Healthcare no Canadá.

 

VEJA TAMBÉM

Estudo indica contaminação dos cilindros de oxigênio por superbactérias em ambulâncias

Os cilindros de oxigênio de ambulância provavelmente carregam a bactéria resistente a antibiótico Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA, na sigla em inglês). É o que sugere um estudo realizado nos Estados Unidos, apontando para a necessidade de desinfecção regular destes equipamentos médicos. Pesquisadores testaram cilindros de oxigênio transportados em ambulâncias do serviço de socorro médico norte-americano (Emergency Medical

Estados Unidos aprovam novo antibiótico para a diarreia do viajante

A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), aprovou o novo antibiótico Aemcolo (do grupo de antibióticos rifamicina, produzida pela Cosmo Technologies), para tratar adultos com diarreia dos viajantes causada por cepas não invasivas da bactéria Escherichia coli (E. coli), e não complicadas por febre ou sangue nas fezes. Este é o primeiro
New England Journal of Medicine 

Nos EUA, 25% da remuneração é baseada em valor

Uma recente pesquisa do periódico New England Journal of Medicine (NEJM) em parceria com a empresa de tecnologia de dados em saúde Optum (UnitedHealth Group), apresenta alguns dados importantes para se entender as complexidades da transição do modelo de pagamento por serviço executado para o de foco em resultados ou performance. A amostra compreende 552 profissionais (com margem de erro de