Gestão e Qualidade, Mundo | 10 de outubro de 2012

Amil é vendida para gigante americana UnitedHealth

Grupo pode pagar até R$ 9,9 bilhões por 90% das ações
amil-saude-2012

A empresa de saúde americana UnitedHealth Group anunciou a compra de 90% da Amil, a maior operadora de planos de saúde do Brasil, ao preço de US$ 4,9 bilhões, o equivalente a R$ 9,89 bilhões. O anúncio foi feito pelo fundador e executivo da Amil, Edson Bueno, que ficará com 10% das ações da empresa pelos próximos cinco anos. Em contrapartida, terá de investir US$ 470 milhões em ações da americana.

Pelo acordo, Bueno permanecerá no comando da Amil pelos próximos cinco anos e deverá preparar o sucessor. Além disso, o fundador da Amil também terá direito a uma cadeira no Conselho de Administração da UnitedHealth. Além dos Estados Unidos, o grupo americano está em 17 países — 18 agora com o Brasil — e tem mais de 70 milhões de clientes, contra pouco mais de cinco milhões da Amil.

A aquisição da Amil se feira em duas etapas. A UnitedHealth Group vai desembolsar R$ 6,5 bilhões por 56,8% do capital da Amil Participações, que pertencem a Bueno e à sua ex-mulher. Outros R$ 3,4 bilhões deverão ser utilizados para a aquisição de 30% das ações da Amil que estão com acionistas minoritários, além de 1,8% dos papéis em poder dos administradores da companhia.

Sem alterações para usuários

Durante a entrevista coletiva em que anunciou a venda da Amil, Bueno deixou claro que a venda da empresa para o grupo americano não vai interferir em nada no atendimento para os usuários brasileiros dos planos de saúde que hoje representam 9% do total em todo o país. Os atuais planos continuam a valer.

A transação ainda depende da aprovação dos órgãos reguladores do governo: da Comissão de Valores Mobiliários e da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A legislação brasileira permite que estrangeiros sejam proprietários de planos de saúde no país. Porém, não podem ser donos de hospitais e a Amil tem em sua rede 22 unidades de saúde em todo o país. Essa situação também será analisada pelos órgãos competentes.

VEJA TAMBÉM

Conheça 6 protocolos do Hospital São Lucas da PUC-RS para garantir atendimento seguro aos seus pacientes

O Portal Setor Saúde, em parceria com a Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do RS (FEHOSUL), lançou uma série especial de entrevistas com gestores das instituições de saúde, onde são destacadas as novas rotinas adotadas pelos hospitais durante a pandemia da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus). São abordadas também algumas consequências danosas associadas à pandemia, entre as
mercado

Fundos de investimento XP e IG4 Capital anunciam aquisições no setor hospitalar

Dois fundos, a XP Investimentos (XPI) e o IG4 Capital, anunciaram nos últimos dias investimentos pesados no setor hospitalar. Juntas, as aquisições feitas pelos fundos ultrapassam os R$ 400 milhões de reais. Os hospitais envolvidos foram o Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, em Belo Horizonte (MG), o Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, em Manaus (AM) e o Centro Brasileiro de Visão (CBV Hospital

Como o Hospital Tacchini vem atuando para garantir atendimento seguro a pacientes Covid e não Covid

A pandemia da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) fez com que diversas rotinas fossem alteradas em todo o mundo. Na área da saúde, uma das consequências notadas  foi a suspensão dos procedimentos eletivos – cirurgias, exames diagnósticos e consultas – com impactos relevantes para a sustentabilidade dos hospitais, mas também, para a saúde os pacientes. Segundo